Vídeo divulgado neste sábado mostra Kenji Goto sendo morto por rebeldes, colocando fim às negociações por sua liberdade

AP

Um vídeo divulgado na web na noite deste sábado (31) mostra o jornalista japonês Kenji Goto sendo decapitado por militantes do Estado Islâmico, de acordo com informações da agência de notícias Associated Press.

Kenji Goto momentos anos de ser decapitado por rebelde do EI, em vídeo divulgado neste sábado
AP
Kenji Goto momentos anos de ser decapitado por rebelde do EI, em vídeo divulgado neste sábado

As imagens, postadas em sites e redes sociais de rebeledes e seus simpatizantes, traz o símbolo do al-Furqan, braço midiático do grupo que reinvindica a fundação de um califado em uma ampla área que abrange um terço dos territórios da Síria e do Iraque. 

Leia mais:
Premiê japonês chama de "desprezíveis" ameaças do Estado Islâmico

Batizado de "Uma Mensagem ao Governo do Japão", o vídeo mostra um rebelde de sotaque britânico ao lado do jornalista, vestido com roupas laranjas de prisioneiro, ajoelhado em um local desértico. Todo o cenário já é praxe nas imagens de ameaças e decapitações produzidas pelo grupo, que tem filmado ações intimidando cidadãos estrangeiros como forma de exigir milionárias recompensas para investir em práticas terroristas. Goto permanece mudo ao longo de todo o vídeo, de um minuto de duração. 

Veja ações praticadas pelo e contra o Estado Islâmico no Iraque e na Síria:

"Abe", diz o rebelde nas imagens, em referência ao primeiro ministro do Japão, Shinzo Abe. "Devido à sua decisão imprudente de tomar parte em uma guerra impossível de vencer, este homem não só irá matar Kenji, como vai continuar a causar carnificina onde quer que seu povo seja encontrado. Que comece o pesadelo para o Japão."

Leia também:
Estado Islâmico ameaça matar dois reféns japoneses; assista ao vídeo
Estado Islâmico pede mulher-bomba em troca de refém japonês; saiba quem é ela

Goto foi sequestrado na Síria em outubro, quando viajou ao país com o objetivo de libertar o colega Haruna Yukawa. O drama pela libertação dos dois começou há pouco mais de uma semana, após militantes divulgarem um vídeo com suas imagens ameaçando de matá-los se o Japão não pagasse US$ 200 milhões (R$ 532 milhões) de resgate por eles em 72 horas.

A Jordânia e o Japão conduziram negociações com os militantes por meio de líderes tribais iraquianos, mas não conseguiram chegar a um acordo. Yukawa foi decapitado pelo Estado Islâmico no último sábado (24), exatamente uma semana antes do assassinato de Goto. 

    Leia tudo sobre: estado islâmico
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.