Grupo egípcio Ansar Beit Al Maqdis, ligado ao Estado Islâmico, reivindicou ataques no norte do Monte Sinai; houve 26 mortes

Agência Brasil

O presidente egípcio, Abdel Fattah Al Sissi, encurtou nesta sexta-feira (30) sua visita a Adis Abeba devido aos supostos atentados terroristas no Monte Sinai, que fizeram, pelo menos, 26 mortos, informou a presidência.

Dia 25: No Egito, 13 pessoas são mortas durante protesto em aniversário de revolta

O grupo egípcio Ansar Beit Al Maqdis, ligado ao movimento Estado Islâmico, reivindicou os ataques no norte do Monte Sinai, no Egito. A maioria dos mortos são soldados e ação é considerada a mais mortífera para as forças de segurança em três meses.

Adis Abeba, capital da Etiópia, sedia a 24ª cúpula de chefes de Estado e de Governo da União Africana, uma reunião de dois dias, que começa nesta sexta-feira (29), e tem como tema 2015: Ano da Capacitação e Desenvolvimento da Mulher Rumo à Agenda 2063 da África.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.