Indonésia deve executar outro brasileiro por tráfico de drogas em fevereiro

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Rodrigo Gularte foi condenado em 2005 por ter entrar no país com seis kg de cocaína; lista de condenados inclui australianos

O brasileiro Rodrigo Gularte, preso por tráfico de drogas na Indonésia desde 2005, deverá ser executado em fevereiro, segundo o jornal The Jakarta Post noticiou nesta sexta-feira (30).

OAB: Governo esgotou recurso para livrar brasileiro de execução na Indonésia

Rodrigo Gularte foi condenado à morte em 2005 por chegar à Indonésia com seis quilos de cocaína
Reprodução/Facebook
Rodrigo Gularte foi condenado à morte em 2005 por chegar à Indonésia com seis quilos de cocaína

Cenário: Mesmo com pena de morte, uso de drogas na Indonésia deve crescer 45%

De acordo com a polícia, a ilha-prisão Nusakambangan de Cilacap, localizada na área central de Java, está pronta para as novas execuções. O chefe da polícia Ulung Sampurna Jaya disse que eles estavam apenas esperando ordens para cumprir as sentenças.

"Estamos prontos. Agora é só uma questão de pressionar o botão", ironizou ele em entrevista ao The Jakarta Post na quinta-feira.

Política: ONU pede suspensão de execuções de condenados à morte na Indonésia

Gularte foi condenado à morte em 2005 por chegar à Indonésia com seis quilos de cocaína escondidos em suas pranchas de surf. Atualmente, sua família trabalha com a alegação de que o brasileiro sofre de esquizofrenia e tenta reverter a pena transferindo-o para um hospital psiquiátrico.

A lista de 11 presos inclui a filipina Mary Jane Fiesta Veloso, o francês Serge Areski Atlaoui, o ganês Martin Anderson alias Bel, o espanhol Raheem Agbaje Salami e o indonésio Zainal Abidin. Três condenados por assassinato na Indonésia, Syofial, Sargawi e Harun, também deverão ser mortos em fevereiro.

Dia 18: Cinzas de brasileiro fuzilado na Indonésia serão levadas para o Rio de Janeiro

Dois australianos - Andrew Chan e Myuran Sukumaran - também estão entre aqueles que deverão ser fuzilados. Sukumaran, 33, e Chan, 31, estão detidos na Penitenciária Kerobokan e estão entre os nove australianos do chamado Bali Nine que foram condenados por tentar contrabandear cerca de oito quilos de heroína de Bali para a Austrália em 2005. Seus apelos de clemência foram oficialmente rejeitado pelo presidente Joko Widodo este mês.

Nusakambangan é o lar de cerca de 1.500 presos de alto perfil e tem sido muitas vezes o local das execuções. O local é considerado seguro, uma vez que fica a cerca de dois quilômetros ao largo da praia Teluk Penyu, Cilacap.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas