Arma que matou Nisman foi disparada a 15 cm de distância

Por Ansa |

compartilhe

Tamanho do texto

Irã negou envolvimento na morte de promotor federal na Argentina. Nisman foi achado morto no último domingo (18)

O tiro que matou o procurador federal argentino Alberto Nisman foi disparado a cerca de 15 a 20 centímetros de sua cabeça, é o que sustentam fontes judiciais ouvidas pelo jornal oposicionista "El Clarín".

Perícia inicial aponta suicídio do promotor argentino Alberto Nisman

Promotor que investigava Cristina Kirchner na Argentina é encontrado morto

Segundo a publicação argentina, a análise balística da Polícia Federal contesta a tese de suicídio. Porém, os dados "ainda não foram oficializados", mas estariam descritos no relatório da perícia e da autópsia.

Nisman foi encontrado morto no último domingo (18) com um tiro na cabeça disparado por sua própria arma calibre 22. A princípio, o governo argentino sustentava a hipótese de suicídio. Porém, até mesmo a presidente do país, Cristina Kirchner, afirmou não acreditar que ele tenha tirado a própria vida.

Alberto Nisman investigava o ataque terrorista dos anos 1990 havia dez anos; ele foi encontrado morto na Argentina
Reprodução/Facebook
Alberto Nisman investigava o ataque terrorista dos anos 1990 havia dez anos; ele foi encontrado morto na Argentina


Irã nega envolvimento

O ministro iraniano das Relações Exteriores, Mohamed Yavad Zarif, negou que seu país esteja envolvido de alguma maneira com a morte de Nisman. "O Irã não entra em toda essa discussão, pois é uma questão que pertence ao debate interno na Argentina. É deplorável que vários procuradores que acusaram o Irã tenham sido acusados de corrupção ou se matado", disse Zarif.

Leia tudo sobre: Nismanarmamortepromotornismanargentina

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas