Decisão da direção do tabloide The Sun é consequência da série de protestos de grupos contra a exploração das mulheres

O tabloide britânico "The Sun" decidiu extinguir os tradicionais ensaios de mulheres fazendo topless após 44 anos publicando-os na seção "Page 3" – página três. As informações são dos jornais The Guardian e The Times, também do Reino Unido.

De acordo com funcionários do tabloide, pertencente ao magnata Rupert Murdoch, o que motivou a decisão foi uma série de protestos de grupos contra a exploração do corpo feminino nas páginas da publicação. Uma petição chegou a recolher 217 mil assinaturas para acabar com a seção.

Introduzida no tabloide em 1970, menos de um ano após Murdoch adquirir o "The Sun", a "Topless Page 3" trazia modelos e garotas comuns exibindo os seios em poses sensuais. A prática inspirou publicações no mundo inteiro – o jornal "Meia-Hora", do Rio de Janeiro, por exemplo, ainda traz diariamente uma garota sensualizando em suas páginas, sempre destacada em uma foto de capa.

"É uma notícia histórica e muito importante para mostrar como é grande o poder do povo", disse uma porta-voz do grupo "Não à Página 3". "Pode ser um grande passo em direção à mudança da mídia sexista."

Apesar da decisão, o "The Sun" segue publicando fotos de belas mulheres na seção, mas agora elas aparecem vestidas, com roupas de banho. A última imagem de nudez da "Page 3" foi publicada na sexta-feira (16) – na segunda (19), a modelo do dia, Rosie Huntington-Whiteley, apareceu em imagens cobrindo os seios.

O tabloide, no entanto, pode voltar a exibir as mulheres fazendo topless caso suas vendas caiam com a medida, segundo funcionários.


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.