Autoridades fizeram o funeral anônimo para evitar que o local se tornassem ponto de peregrinação de extremistas islâmicos

Um dos atiradores do jornal "Charlie Hebdo" foi enterrado na madrugada deste domingo (18), na França. O corpo de Cherif Kouachi, de 32 anos, foi sepultado anonimamente em um cemitério de Gennevilliers, nos arredores de Paris, onde ele vivia com sua mulher. Nenhum familiar participou da cerimônia e, em seu túmulo, não foi colocada identificação.

Leia também:  Al-Qaeda no Iêmen reivindica ataque terrorista contra a Charlie Hebdo na França

Paris:  Com tiragem maior, edição da Charlie Hebdo após ataque se esgota na França

 As autoridades fizeram o funeral em segredo para evitar que o local se tornassem destino de peregrinação de extremistas islâmicos.

Ontem, o corpo de seu irmão, Said, que também participou do atentado contra a sede do jornal francês, foi enterrado na cidade de Reims.

Veja fotos do ataque

Os dois irmãos abriram fogo contra o jornal "Charlie Hebdo" no último dia 7 de janeiro, em um ataque que deixou 12 mortos e abalou a França. Eles foram detidos e mortos pela polícia dois dias depois.

Cherif Kouachi já era conhecido das autoridades francesas antes do atentado. Em 2008, ele tinha sido condenado a três anos de prisão por participar de uma rede de recrutamento para combatentes no Iraque.

"Vingamos o profeta", teriam dito atiradores após ataque terrorista na França

A França também informou neste domingo que nove pessoas, das 12 detidas durante a semana em operações antiterrorismo, continuam presas. Entre as últimas quinta e sexta-feiras, a polícia prendeu 12 pessoas, sendo oito homens e quatro mulheres, suspeitas de terem ajudado nos ataques contra o "Charlie Hebdo" e contra um supermercado judaico, este último encerrado com um saldo de cinco mortos. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.