Revista ultraortodoxa israelense apaga mulheres de foto de protesto em Paris

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Enquanto Benjamin Netanyahu, Mahmoud Abbas e outros líderes aparecem em primeiro plano, edição do Kol Hamevaser eliminou Angela Merkel e prefeita de Paris de foto

Uma publicação israelense judaica ultraortodoxa provou nesta semana que a intolerância religiosa pode ter origem em qualquer religião – não só no islamismo, alvo de críticas severas devido ao fundamentalismo de alguns de seus adeptos, como Estado Islâmico e Al-Qaeda.

Reprodução do Kol Hamevaser: apenas para seus editores mulheres não estiveram em ato
Kol Hamevaser/Reprodução
Reprodução do Kol Hamevaser: apenas para seus editores mulheres não estiveram em ato

Publicada por uma Yeshivá (instituição de ensino religioso) israelense, a Kol Hamevaser simplesmente cortou de uma foto lideranças de Estado do sexo feminino em uma matéria recente sobre os protestos contra o terrorismo realizados em Paris, no domingo (11).

Foto original, com Merkel, a prefeita de Paris e a chanceler da União Europeia: sim, elas foram
Walla/Reprodução
Foto original, com Merkel, a prefeita de Paris e a chanceler da União Europeia: sim, elas foram

Leia mais:
Marcha contra o terror em Paris reúne líderes e um milhão e meio de pessoas

Imagem que rodou o mundo, na qual aparecem lideranças de diversos países na linha de frente do protesto que reuniu 1,5 milhão de pessoas na capital francesa, ela foi alterada pela revista, que cortou todas as mulheres da foto. 

Assim, para os leitores da publicação, a premiê da Alemanha, Angela Merkel, sequer compareceu ao protesto. Mesmo caso da chanceler da União Europeia, Federica Mogherini, e da prefeita de Paris, Anne Hidalgo.

Do lado masculino, no entanto, todos os líderes aparecem em destaque. Incluindo o chefe da Autoridade Palestina, Mahmoud Abbas, a quem os ultraortodoxos têm pouca simpatia, próximo ao premiê israelense, Benjamin Netanyahu.

Leia também:
Paris: presença de alguns líderes mundiais em marcha é criticada
Marchas ao redor do mundo homenageiam vítimas de ataque terrorista em Paris

Assim como as religiões cristã e islâmica, o papel da mulher no judaísmo é absolutamente secundário, especialmente entre ortodoxos, que sequer se relacionam com pessoas do sexo feminino – salvo quando casados. 

A descoberta da eliminação das mulheres da foto foi feita pelo jornalista David Abraham e publicada no jornal Walla, na segunda-feira (12).

Veja fotos dos protestos contra o terror na Europa:

Milhões marcham em Paris contra o terrorismo e a favor da liberdade de expressão. Foto: EPA/Ian Langsdon/Agência Lusa/Direitos ReservadosA partir da esq: Benjamin Netanyahu (Israel), Ibrahim Boubacar Keita (Mali), Francois Hollande (presidente da França) e Angela Merkel (Alemanha), Donald Tusk (União Europeia) e Abbas (Autoridade Palestina). Foto: AP PhotoMulher cola a frase "Liberdade" na boca e desenha lápis para protestar contra o terrorismo. Foto: APCrianças também participam da marcha contra o terrorismo, neste domingo, em Paris. Foto: APPessoas portanto cartazes com dizeres "Eu sou Charlie" se reúnem na Place de la Nation, em Paris, na marcha contra o terrorismo que acontece neste domingo. Foto: APManifestantes carregam lápis como símbolo da liberdade de expressão. Foto: APLíderes mundiais caminham de braços dados em marcha contra o terror. Foto: AP PhotoPraça da República, em Paris, lotada de participantes da marcha contra o terror. Foto: Peter Dejong/APManifestantes lotam a Praça da República em Paris. Foto: Peter Dejong/APA multidão se reúne na Praça da República, em Paris. Foto: Peter Dejong/APMultidão reunida na Praça da República à espera do início da marcha contra o terrorismo, em Paris. Foto: Laurent Cipriani/APParticipante do protesto segura um lápis em alusão aos jornalistas mortos. Foto: Laurent Cipriani/APMulher segura poster onde se lê "Contra a estupidez que mata". Foto: Laurent Cipriani/APAgentes atentos e forte aparato policial para evitar incidentes na marcha contra o terrorismo. Foto: Francois Mori/APA rosa vermelha e o recado: Eu sou Charlie. Foto: APParticipantes da marcha contra o terrorismo acenam com bandeiras da França na Praça da República em Paris. Foto: Peter Dejong/APPoliciais franceses patrulham área da manifestação. Foto: Laurent Cipriani/APMesmo quem não foi à Praça da República deu um jeito de se manifestar. Na sacada, o cartaz e as roupas com as cores da bandeira francesa deram o recado. Foto: Francois Mori/APPremiê alemã Angela Merkel abraça presidente francês Francois Hollande. Foto: AP PhotoO primeiro ministro da Espanha, Mariano Rajoy, também compareceu à marcha. Foto: Thibault Camus/APFrançois Hollande recebe o primeiro ministro italiano Matteo Renzi. Foto: Thibault Camus/APO rei Abdullah e a rainha Rania, da Jordânia, são recebidos pelo presidente francês. Foto: Thibault Camus/APO primeiro ministro israelense Benjamin Netanyahu acena aos fotógrafos ao lado do presidente francês. Foto: Thibault Camus/APFrançois Hollande cumprimenta o líder da autoridade palestina Mahmoud Abbas em Paris. Foto: Thibault Camus/APFrançois Hollande recebe o ex primeiro ministro francês Lionel Jospin. Foto: Thibault Camus/APA presidente da Suíça Simonetta Sommaruga é recebida por François Hollande no Palácio do Eliseu. Foto: Thibault Camus/APCrianças e adultos se reúnem na Praça da República, onde esperam pelo início da marcha contra o terrorismo. Foto: Laurent Cipriani/APLíderes judaicos da França respondem às perguntas dos repórteres após terem se reunido com o presidente François Hollande no Palácio do Eliseu. Foto: David Azia / APO presidente francês François Hollande deixa o Palácio do Eliseu depois de se reunir com Joel Mergui, líder do Consistório Judaico da França. Foto: David Azia / APSacha Reingewirtz, líder dos estudantes judeus da França mostra um panfleto onde se lê “Eu sou Charlie, Eu sou um policial, Eu sou judeu, Nós somos a República”. . Foto: David Azia / APPessoas começam a se reunir na Praça da República, em Paris, para marcha que vai homenagear os 17 mortes nos ataques. Foto: AP PhotoFlores e faixas em escultura da praça da República homenageia mortos nos ataques em Paris. Foto: AP PhotoHomenagem na praça da República aos 17 mortos nos ataques a Paris. Foto: AP PhotoMinistros do Interior se reúnem antes do início da Marcha que deve reunir um milhão de pessoas em Paris. Foto: AP PhotoProcurador Geral dos EUA, Eric Holder (à esq.), é recebido por ministro do Interior da França, Bernard Cazeneuve. Foto: AP PhotoMinistro do Interior da França, Bernard Cazeneuve, com ministra do Interior da Grã-Bretanha, Theresa May. Foto: AP PhotoMinistro do Interior da Espanha, Fernadez Jorge Diaz (à esq.), é recebido por ministro do interior da França, Bernard Cazeneuve. Foto: AP PhotoMinistro do Interior alemão, Thomas de Maizière, abraça ministro francês Bernard Cazeneuve. Foto: AP Photo


compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas