Fritz-Joly Joachin, de 29 anos, foi detido com seu filho, quando tentava passar de carro a fronteira búlgaro-turca

Agência Brasil

Um francês detido na Bulgária no dia 1º deste mês, ao tentar chegar à Síria, é suspeito de ligação com um dos autores do atentado de 7 de janeiro contra o jornal satírico francês Charlie Hebdo, informou hoje (13) a Justiça búlgara.

Cartunista chora ao mostrar nova edição do Charlie Hebdo

'Inseguros', cada vez mais judeus franceses emigram para Israel

O mandado de detenção emitido pela França para Fritz-Joly Joachin menciona a acusação de “participação em grupo criminoso armado cujo objetivo é a organização de atos terroristas”, informou a procuradora-geral de Haskovo, Darina Slavova.

“Antes da sua partida, no dia 30 de dezembro, para a Turquia, ele esteve várias vezes em contato com um dos dois irmãos, Chérif Kouachi”, informa o mandado de detenção francês.

Chérif e Said Kouachi mataram 12 pessoas no ataque ao Charlie Hebdo, no centro de Paris, e foram mortos pela polícia dois dias depois.

Fritz-Joly Joachin, de 29 anos, foi detido com  seu filho, quando tentava passar de carro a fronteira búlgaro-turca. A Procuradoria de Haskovo disse que, inicialmente, ele era alvo de um mandado de detenção europeu, depois de sua mulher tê-lo acusado de sequestro do filho de 3 anos para se juntar aos jihadistas na Síria. A criança já foi entregue à mãe.

O francês afirmou que viajava com seu filho e a namorada para passar férias em Istambul e a Justiça búlgara deve tomar uma decisão sexta-feira (16) sobre o pedido de extradição da França.


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.