Nova capa mostra Maomé chorando, com um cartaz dizendo: "Eu sou Charlie". Acima do desenho aparece a inscrição: "Tudo é perdoado"

Nesta terça-feira (13), o novo editor-chefe da revista satírica, Gerard Biard, o colunista Patrick Pelloux e o cartunista Luz apresentaram a nova capa da revista satírica "Charlie Hebdo". Durante a coletiva, o cartunista não se conteve e chorou copiosamente.

Suspeito de ataque em revista francesa treinou com a Al-Qaeda no Iêmen

'Europa é mais forte que qualquer ataque', diz primeiro-ministro italiano

A próxima edição do semanário satírico francês Charlie Hebdo, nas bancas a partir de quarta-feira (14) – a primeira depois do atentado, vai incluir caricaturas de Maomé.

A capa mostra o profeta chorando, com um cartaz dizendo: "Eu sou Charlie". Acima do desenho aparece a inscrição: "Tudo é perdoado". Um jornalista que trabalha no humorístico explicou que os jornalistas estavam perdoando os extremistas pelas mortes.

Quem são os mandantes dos ataques na França?

Novo editor-chefe da revista satírica, Gerard Biard, à esquerda, e colunista Patrick Pelloux confortam o cartunista Luz durante coletiva
AP
Novo editor-chefe da revista satírica, Gerard Biard, à esquerda, e colunista Patrick Pelloux confortam o cartunista Luz durante coletiva



O advogado do jornal, Richard Malka afirmou que “obviamente” charges de Maomé ocorreram e que o “espírito do ‘Eu sou Charlie’ significa também o direito à blasfêmia”. A representação em imagens do profeta é proibida para os muçulmanos.

Malka afirmou que o jornal incluirá também charges sobre políticos e religiosos. “Nunca vamos ceder. Senão, nada disto faria sentido”, afirmou o advogado e colaborador do semanário.


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.