Brasil mostra solidariedade no aniversário de cinco anos do terremoto no Haiti

Por Agência Brasil | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Tragédia deixou milhares de mortos, incluindo 18 brasileiros que estavam em Porto-Príncipe em missão humanitária

Agência Brasil

Combinação de fotos mostra Marie La Jesula Joseph orando do lado de fora de Catedral após terremoto de 12 de janeiro de 2010 e como está o local em 2015, no Haiti (10/01)
AP
Combinação de fotos mostra Marie La Jesula Joseph orando do lado de fora de Catedral após terremoto de 12 de janeiro de 2010 e como está o local em 2015, no Haiti (10/01)

O Itamaraty reafirmou o sentimento de pesar e de solidariedade do governo e do povo brasileiro à população do Haiti nesta segunda (12), dia em que se completa cinco anos do terremoto de 2010 que deixou milhares de mortos, inclusive 18 brasileiros em Porto-Príncipe em missão humanitária.

2014: Haiti foi recolonizado pelas forças de paz, defende haitiano em tese na Unicamp

Lembrando Zilda Arns, "cuja vida de exemplar dedicação aos mais humildes foi cobrada pelo terremoto de 2010", o governo e o povo prestam homenagem aos brasileiros mortos na tragédia e a todos que há mais de uma década têm se engajado na ajuda solidária à população.

O comunicado acrescenta que neste momento de recordação e de renovação, o governo brasileiro apela ao povo haitiano a unir-se, por meio de suas instituições democráticas, em torno do projeto de consolidação de um Haiti democrático e próspero.

Assista: Empresários buscam mão-de-obra haitiana em abrigo em SP

"É essa união que permitirá a superação de tantos desafios que ainda se colocam para que o país possa garantir segurança e estabilidade aos seus cidadãos e um ambiente favorável às atividades econômicas, aos investimentos e à cooperação internacional que gerarão empregos, oportunidades e uma visão de futuro para todos".

Rosena Dordor, 40, na frente de seu barraco nas colinas áridas ao norte da capital do Haiti (9/01). Foto: APCrianças jogam bola ao norte da capital do Haiti, Porto Príncipe (9/01). Foto: APHaitianos às portas de um ponto de distribuição de alimentos no bairro de Cité Soleil após terremoto de 2010 (arquivo) . Foto: APCrianças bombeiam água de poço em sua nova comunidade nas colinas áridas ao norte da capital do Haiti, Porto Príncipe (9/01). Foto: APCombinação de fotos mostra Marie La Jesula Joseph orando do lado de fora de Catedral após terremoto de 12 de janeiro de 2010 e como está o local em 2015, no Haiti (10/01). Foto: APMulheres caminha por rua devastada após terremoto de 7 graus de magnitude em 2010, na capital do Haiti (arquivo). Foto: APSobreviventes em acampamento improvisado após terremoto no Haiti (2010). Foto: AP

De acordo com o texto, o governo brasileiro espera que as lideranças políticas e a cidadania haitiana encontrem rapidamente a fórmula que, dentro das regras da democracia, com pleno respeito à Constituição, permitam a rápida retomada dos esforços em benefício da nação.

"Na sua permanente solidariedade e no seu engajamento com a causa de um Haiti democrático e estável", o governo se coloca à disposição para ajudar no que estiver ao seu alcance, de acordo com a vontade soberana do povo e em consulta com os demais países parceiros e irmãos associados ao mesmo objetivo.

Leia tudo sobre: haititerremoto no haitibrasilitamaraty

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas