No vídeo, Coulibaly reivindica autoria da morte de um policial; cúmplices serão identificados pela distribuição do vídeo

Agência Brasil

Amedy Coulibaly invadiu supermercado de comida judaica em Paris
Getty Images
Amedy Coulibaly invadiu supermercado de comida judaica em Paris

Um vídeo que mostra Amedy Coulibaly – o terrorista que invadiu um mercado judeu em um subúrbio ao leste de Paris e matou quatro reféns – foi divulgado na internet neste domingo (11).

No vídeo, de 7 minutos e 16 segundos, Coulibaly reivindica a autoria da morte de um policial francês, ocorrida na quinta-feira (8), e se diz um soldado do Estado Islâmico. Coulibaly afirma ainda que ele e os irmãos Kouachi, responsáveis pelo ataque ao jornal satírico Charlie Hebdo, na quarta-feira (7), tinham decidido sincronizar os atos terroristas para ampliar o impacto das ações.

O ex-advogado do suspeito Damien Brossier confirmou ao jornal francês Le Monde que o homem que aparece no vídeo é Coulibaly. Outras fontes do jornal também confirmaram a identificação.

Leia também:

"Vingamos o profeta", teriam dito atiradores após ataque terrorista na França
Veja quem é Hayat Boumeddiene, a foragida dos atentados de Paris

O vídeo está sendo analisado pelas autoridades para ser datado de forma precisa e ter sua origem exata determinada. Possíveis cúmplices serão identificados pela distribuição do vídeo. Os investigadores querem saber principalmente se Boumeddiene Hayat, de 26 anos, apontada como namorada de Coulibaly e procurada pela polícia, estava por trás da câmera.

Assim como Coulibaly, os irmãos Chérif e Said Kouachi também morreram em confronto com a polícia.

Veja imagens dos ataques a Paris:


    Leia tudo sobre: Estado Islâmico
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.