"Devemos ser implacáveis contra o racismo e o antissemitismo", diz Hollande

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Em discurso, presidente da França elogiou ações da polícia que resultaram na morte de três terroristas, nesta sexta-feira (9)

O presidente francês, nesta sexta:
AP
O presidente francês, nesta sexta: "União do país é a arma mais importante para combater terror"

"Devemos ser implacáveis contra o racismo e o antissemitismo". A frase é um dos momentos de destaque do curto discurso proferido pelo presidente da França, François Hollande, pouco depois do fim das ações que resultaram na morte de ao menos quatro reféns e três terroristas, nesta sexta-feira (9), em municípios próximos à cidade de Paris. 

Leia mais:
Ataque a sede de revista satírica em Paris deixa 12 mortos
Suspeitos de ataque terrorista a revista são mortos pela polícia
França continua em alerta máximo contra terrorismo, diz ministro do interior

Na fala de pouco mais de cinco minutos, Hollande ressaltou a ocorrência de ataques a mesquitas realizados após a chacina na sede da revista satírica "Charlie Hebdo", na quarta-feira, e apontou, principalmente, a invasão ao mercado judaico ocorrida nesta sexta, quando ao menos três reféns foram mortos, em mais um de uma série de atos contra judeus em território francês.

"Os assassinos foram neutralizados graças a uma operação dupla das polícias. E eu gostaria de dizer que estamos orgulhosos dos nossos agentes. Os policiais fizeram ações para salvar reféns e neutralizar os assassinos. Mas a França sabe: as ameaças ainda não acabaram", disse Hollande, fazendo coro ao que o ministro do Interior francês, Bernard Cazeneuve, disse pouco antes

Veja fotos dos ataques e das ações contra o terrorismo na França nesta semana:

Suspeitos de ataque terrorista a revista em Paris são mortos pela polícia (09/01). Foto: APSuspeitos de ataque terrorista a revista em Paris são mortos pela polícia (09/01). Foto: APSuspeitos de ataque terrorista a revista em Paris são mortos pela polícia (09/01). Foto: APSuspeitos de ataque terrorista a revista em Paris são mortos pela polícia (09/01). Foto: APAtirador que mantinha reféns em mercado judaico é morto pela polícia. (09/01). Foto: APAtirador que mantinha reféns em mercado judaico é morto pela polícia. (09/01). Foto: APAtirador que mantinha reféns em mercado judaico é morto pela polícia. (09/01). Foto: APAtirador que mantinha reféns em mercado judaico é morto pela polícia. (09/01). Foto: APAtirador que mantinha reféns em mercado judaico é morto pela polícia. (09/01). Foto: APAtirador que mantinha reféns em mercado judaico é morto pela polícia. (09/01). Foto: APPolícia persegue suspeitos de atentado, que já fizeram reféns em uma fábrica nesta sexta-feira. (09/01). Foto: APPolícia persegue suspeitos de atentado, que já fizeram reféns em uma fábrica nesta sexta-feira. (09/01). Foto: APPolícia persegue suspeitos de atentado, que já fizeram reféns em uma fábrica nesta sexta-feira. (09/01). Foto: APPolícia persegue suspeitos de atentado, que já fizeram reféns em uma fábrica nesta sexta-feira. (09/01). Foto: APPolícia intensifica buscas no norte da França para capturar suspeitos de ataque. Foto: APPolícia intensifica buscas no norte da França para capturar suspeitos de ataque. (08/01). Foto: APPolícia intensifica buscas no norte da França para capturar suspeitos de ataque. Foto: APPolícia intensifica buscas no norte da França para capturar suspeitos de ataque. (08/01). Foto: APPolícia intensifica buscas no norte da França para capturar suspeitos de ataque. (08/01). Foto: APFlores e mensagens de apoio são deixadas em frente à sede do jornal Charlie Hebdo, alvo de ataque que matou 12 pessoas na quarta-feira (8). Foto: AP Photo/Francois MoriA mensagem "Je suis Charlie" (Eu sou Charlie) foi escrita no letreiro sobre o prédio da editora Alex Springer em Berlim em homenagem às vitimas de ataque em Paris. Foto: AP Photo/Stephanie PilickEm Bruxelas, pessoas se reuniram em frente ao parlamento europeu para fazer um minuto de silêncio pelas vítimas. Foto: Divulgação/Parlamento EuropeuUcranianos deixam homenagems às vítimas do ataque à sede da revista Charlie Hebdo em frente à embaixada da França em Kiev nesta quinta-feira (8). Foto: AP Photo/Sergei ChuzavkovDebaixo de chuva, dezenas de pessoas fizeram um minuto de silêncio no Parlamento Europeu, em Bruxelas na manhã desta quinta (8). Foto: Divulgação/Parlamento EuropeuApós ataque, milhares vão às ruas por liberdade de expressão na França (07/01)
. Foto: APApós ataque, milhares vão às ruas por liberdade de expressão na França (07/01)
. Foto: APApós ataque, milhares vão às ruas por liberdade de expressão na França (07/01)
. Foto: APApós ataque, milhares vão às ruas por liberdade de expressão na França (07/01)
. Foto: APApós ataque, milhares vão às ruas por liberdade de expressão na França (07/01)
. Foto: APApós ataque, milhares vão às ruas por liberdade de expressão na França (07/01)
. Foto: APApós ataque, milhares vão às ruas por liberdade de expressão em Berlim (07/01). Foto: APApós ataque, milhares vão às ruas por liberdade de expressão na França (07/01)
. Foto: APAtaque deixa ao menos 12 mortos em sede de revista satírica em Paris (07/01). Foto: APDiversas equipes de resgatem se mobilizaram para socorrer as vítimas. (07/01). Foto: APEquipe de perícia trabalham para conseguir pistas dos terroristas. (07/01). Foto: APEquipe de perícia trabalham para conseguir pistas dos terroristas. (07/01). Foto: AP Equipe de perícia trabalham para conseguir pistas dos terroristas. (07/01). Foto: APReprodução do site da revista francesa Charlie Hebdo, atacada por terroristas nesta quarta-feira (7). Foto: ReproduçãoComoção em vários países motivou revista Charlie Hebdo a publicar em seu site protestos em diferentes idiomas. Foto: ReproduçãoDepois do ataque desta quarta-feira (7), site da revista francesa Charlie Hebdo trouxe protestos em diferentes idiomas. Foto: ReproduçãoAtaque a redação da revista francesa Charlie Hebdo matou ao menos 12 pessoas; site da publicação trouxe protestos em diferentes idiomas. Foto: ReproduçãoSite da revista Charlie Hebdo trouxe protestos em diferentes idiomas. Foto: ReproduçãoAtaque deixa ao menos 12 mortos em sede de revista satírica em Paris. Foto: APAtaque deixa ao menos 12 mortos em sede de revista satírica em Paris. Foto: APAtaque deixa ao menos 12 mortos em sede de revista satírica em Paris. Foto: APAtaque a sede de revista em Paris deixa ao menos 12 mortos. Veja imagens
. Foto: APPresidente da França, François Hollande, segue para local onde ocorreu o ataque terrorista em Paris (07/01). Foto: AP Ataque deixa ao menos 12 mortos em sede de revista satírica em Paris. (07/01). Foto: Reprodução/Twitter Ataque deixa ao menos 12 mortos em sede de revista satírica em Paris. (07/01). Foto: Reprodução/TwitterAtaque a sede de revista em Paris deixa ao menos 12 mortos. Veja imagens
. Foto: APAtaque a sede de revista em Paris deixa ao menos 12 mortos. Veja imagens
. Foto: APAtaque a sede de revista em Paris deixa ao menos 12 mortos. Veja imagens
. Foto: APAtaque a sede de revista em Paris deixa ao menos 12 mortos. Veja imagens
. Foto: APAtaque a sede de revista em Paris deixa ao menos 12 mortos. Veja imagens
. Foto: APAtaque a sede de revista em Paris deixa ao menos 12 mortos. Veja imagens
. Foto: APAtaque a sede de revista satírica em Paris deixa 12 mortos e, ao menos, 3 gravemente feridos (07/01). Foto: Reprodução/TwitterImagens dos supostos terroristas (07/01). Foto: Reprodução/TwitterAtaque a sede de revista satírica em Paris deixa 12 mortos e, ao menos, 3 gravemente feridos (07/01). Foto: Reprodução/TwitterAtaque a sede de revista satírica em Paris deixa 12 mortos e, ao menos, 3 gravemente feridos (07/01). Foto: Reprodução/TwitterO presidente François Hollande classificou o ataque como terrorista. Foto: Reprodução/TwitterAtaque a sede de revista satírica em Paris deixa 12 mortos e, ao menos, 3 gravemente feridos (07/01). Foto: Reprodução/TwitterAtaque a sede de revista satírica em Paris deixa 12 mortos e, ao menos, 3 gravemente feridos (07/01). Foto: Reprodução/TwitterAtaque a sede de revista satírica em Paris deixa 12 mortos e, ao menos, 3 gravemente feridos (07/01). Foto: Reprodução/TwitterSede da revista Charlie Hebdo é atacada em Paris, França (07/01). Foto: Reprodução/Twitter

"Vamos assegurar a segurança geral em lugares públicos para que possamos viver tranquilamente. Temos de ser cuidadosos e cautelosos. Gostaria também de pedir a unidade à França, a demonstração de que estamos determinados a lutar contra tudo o que possa nos dividir."

Expressando a solidariedade do governo a todas as vítimas do terror dos últimos dias, o presidente aproveitou para convocar a grande manifestação contra o terrorismo que irá ser realizado no domingo (11). O ato é uma consequência ao ataque terrorista mais letal de 2015 no Ocidente, na quarta, quando 12 pessoas – entre cartunistas, jornalistas e um policial – foram mortas na sede da revista conhecida por satirizar tudo e todos, inclusive o vingativo fundamentalismo islâmico.

Leia também:
Morreremos como mártires, teriam dito suspeitos por telefone à polícia da França
Al-Qaeda e Estado Islâmico chamam de 'heróis' autores de ataque na França
"Não trabalharia na Charlie. Não tenho por que desenhar Maomé sem roupa"

Hollande garantiu que estará presente no evento, em um momento no qual a tensão no Oriente Médio aumenta com o crescimento de grupos como o Estado Islâmico, que tem atraído militantes de todo o mundo, principalmente da Europa e dos EUA, para treinar na Síria e Iraque com o objetivo de realizarem ataques em seus países de origem.

"Não podemos confundir as coisas: esses fanáticos não tem nada a ver com a religião. E, por isso, precisamos sempre usar a força quando necessária", ressaltou o presidente francês. "Saíremos mais fortes deste desafio."

Leia tudo sobre: ataques na frança

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas