Incidente ocorreu horas após tiroteio que deixou uma policial morta e no dia seguinte à chacina que levou 12 à morte

A explosão repentina de um veículo em frente a uma concessionária de automóveis da Renault em Villejuif, na periferia de Paris, levou ainda mais apreensão aos franceses após ataques realizados em dois dias consecutivos, na noite desta quinta-feira (8). A polícia ainda não sabe se a explosão foi proposital, portanto, ao menos por ora, não há relação estabelecida entre o incidente e o ataque ao jornal Charlie Hebdo de quarta (7), que deixou 12 mortos.

Imagem postada no Twitter mostra parte traseira do automóvel totalmente destruída, nesta quinta
Twitter/Reprodução
Imagem postada no Twitter mostra parte traseira do automóvel totalmente destruída, nesta quinta

De acordo com o jornal Le Parisien, o proprietário do carro, um Renault Kangoo que se encontrava estacionado no local havia vários dias, prestou depoimento à polícia. Um mecânico que trabalha na concessionária  afirmou em entrevista que o veículo é parte de um lote de uma dúzia de carros recém-comprados, no mês de agosto. "Se fosse um problema mecânico ou elétrico, o veículo queimaria, mas não explodiria", disse ele, sem se identificar. "Aqui a explosão foi na parte de trás do carro, o que me parece algo planejado."

Leia também:
"Vingamos o profeta", teriam dito atiradores após ataque terrorista na França
"Eles não estão interessados em Maomé", diz Laerte sobre atentado em Paris
Novo tiroteio em Paris aumenta tensão na França

A notícia rapidamente se espalhou pelas redes sociais devido à proximidade com os dois ataques anteriores. Além da invasão à revista Charlie Hebdo, um novo tiroteio deixou uma policial morta na manhã desta quinta

Ataque a sede de revista satírica em Paris deixa ao menos quatro mortos:


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.