Dono da AirAsia se diz "arrasado" com sumiço de avião

Por BBC |

compartilhe

Tamanho do texto

"Nada é mais importante para nós do que as famílias dos tripulantes e dos passageiros", afirma Tony Fernandes, que está em Surabaya, de onde partiu o voo QZ8501

BBC

Getty Images/Oscar Siagian
Tony Fernandes, CEO da AirAsia, durante coletiva de imprensa em Surabaya, na Indonésia

O dono da AirAsia, o empresário malaio Tony Fernandes, falou aos jornalistas e se disse "arrasado" com o sumiço do voo QZ8501 da companhia. O avião da subsidiária da companhia na Indonésia era um Airbus A320-200 e está desaparecido desde a manhã deste domingo.

Leia mais: Indonésia retoma buscas por aeronave desaparecida da companhia

Fernandes voou para Surabaya, de onde saiu o voo da AirAsia da Indonésia com destino a Cingapura, e deu apoio aos familiares que esperavam por notícias ali. "Nós estamos arrasados com o que aconteceu, é inacreditável", disse.

"Nossa preocupação agora é com os familiares das pessoas que estavam no voo. Nada é mais importante para nós do que as famílias dos tripulantes e dos passageiros."

O avião tinha 162 pessoas, sendo 155 passageiros, que incluíam 137 adultos, 17 crianças e um bebê. A BBC conversou com alguns dos familiares deles no aeroporto de Surabaya, enquanto todos tentam manter o otimismo.

Técnico inspeciona avião da AirAsia antes de decolagem no Aeroporto Internacional Soekarno Hatta, em Jacarta, na Indonésia. Foto: Getty Images/Oscar SiagianTony Fernandes, CEO da AirAsia, durante coletiva de imprensa em Surabaya, na Indonésia. Foto: Getty Images/Oscar SiagianA AirAsia criou um centro de crise no aeroporto de Surabaya, de onde saiu o avião do voo 8501. Foto: APA AirAsia criou um centro de crise no aeroporto de Surabaya, de onde saiu o avião do voo 8501, para atender os parentes dos passageiros. Foto: AP Photo/TrisnadiFamiliares dos passageiros do AirAsia QZ8501 clamam por notícia durante uma reunião com funcionários do centro de crise no aeroporto internacional Djuanda. Foto: Oscar Siagian/Getty ImagesAutoridades responsáveis pelas buscas da aeronave do voo 8501 da AirAsia suspenderam as atividades em razão do mau tempo e do começo da noite na Indonésia. Foto: Oscar Siagian/Getty ImagesSunu Widyatmoko, CEO da AirAsia, fala a imprensa no aeroporto Djuanda Internacional, em Surabaya, na Indonésia. Foto: Oscar Siagian/Getty ImagesParente dos passageiros do voo AirAsia QZ8501 chora enquanto espera notícias do avião desaparecido no aeroporto de Surabaya. Foto: AP Photo/TrisnadiJornalistas tentam entrevistar familiares dos passageiros do voo 8501 da AirAsia no aeroporto de Cingapura. Foto: AP Photo/Xinhua, Then Chih WeyFamiliares aguardam notícias sobre destino do voo da AirAsia, que desapareceu neste sábado (27). Foto: AP Photo/TrisnadiFamiliares conferem lista com nomes dos tripulantes e passageiros do voo da AirAsia desaparecido. Foto: AP Photo/TrisnadiPassageiros e tripulação somam 162 pessoas no voo da AirAsia. Foto: AP Photo/Wong Maye-EFamiliar observa toten da AirAsia que informa sobre voo desaparecido. Foto: AP Photo/Wong Maye-EFamiliares e amigos de passageiros e tripulantes aguardam informações no Aeroporto de Cingapura. Foto: AP Photo/Wong Maye-EAirAsia nunca havia perdido aeronaves, mas região foi cenário de desastre aéreo em março. Foto: Reuters/BBCPiloto da Air Asia pediu para usar rota pouco usual logo antes de perder contato. Foto: Reuters/BBCDois aviões fazem buscas aos Airbus 320 da AirAsia. Foto: Divulgação

Mais sobre a AirAsia: Endividada, empresa foi vendida por 25 centavos em 2001

"O voo ia só da Indonésia para Cingapura, então não é como se estivesse perdido no Oceano Índico, então deve ser mais fácil encontrar", disse William Kai, que aguarda notícias sobre o cunhado dele, que estava no voo.

A mídia local chegou a divulgar informações sobre possíveis destroços do avião desaparecido encontrados perto da ilha de Belitung, na Indonésia, situada na Costa Oriental de Samatra. No entanto, ainda não houve confirmação oficial sobre isso.

"Eu ouvi muitas coisas, mas não sei se nós podemos confiar nisso. Acho que devemos esperar confirmação oficial. Nós ainda temos esperança, não podemos perder a esperança", reiterou.

"Pior pesadelo"

Uma busca aérea e também marítima foi iniciada imediatamente após o avião ter sido dado como desaparecido, mas o mau tempo dificultou os trabalhos no local.

"Esperamos que o avião seja encontrado rapidamente e que nós possamos identificar o que causou tudo isso", disse o dono da AirAsia.

Perguntas e respostas: O que se sabe sobre o voo desaparecido da AirAsia

Foram 12 navios, três helicópteros e cinco aviões buscando a aeronave perdida durante todo o domingo. No fim do dia na Indonésia, as buscas foram suspensas para serem retomadas logo cedo na segunda-feira. Os Estados Unidos já ofereceram ajuda para a localização do avião, caso a Marinha da Indonésia queira.

Para Tony Fernandes, que assumiu a AirAsia desde 2001 e a transformou de uma empresa falida em uma companhia aérea de sucesso, o sumiço do voo QZ8501 é seu "pior pesadelo".

Apoio

O avião da AirAsia da Indonésia em questão já voou 13.600 vezes por mais de 23 mil horas desde 2008. Ele passou pela última manutenção em 16 de novembro deste ano.

O capitão, Iriyanto, tem no currículo mais de 20,5 mil horas de voo, quase 7 mil delas com a AirAsia, segundo o dono da empresa. O co-piloto é francês, Remi Emmanuel Plesel.

O CEO da AirAsia da Indonésia, Sunu Widyatmolo disse que a empresa "mobilisou uma equipe de apoio para ajudar a cuidar dos familiares no que eles precisarem, inclusive hospedagem e viagens."

Dos 155 passageiros a bordo, a maioria era da Indonésia. Havia também um do Reino Unido, um da Malásia, um de Cingapura e três da Coreia do Sul.

Além deles, havia o piloto e outros cinco tripulantes, dos quais um era francês e os outros eram da Indonésia.

Leia tudo sobre: voo 8501airasiaindonésia

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas