Paris registra onda de ataques contra estabelecimentos judaicos

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

França teve 527 episódios antissemitas de janeiro a julho de 2014: aumento de 91% em relação a mesmo período de 2013

A "cidade luz" vem sendo assolada nos últimos dias por uma onda de ataques contra estabelecimentos judaicos em uma nova leva do antissemitismo com o qual Paris é abatida desde sempre em tempos de crise. De acordo com o jornal israelense Haaretz, nesta sexta-feira (26) foi registrado o terceiro incidente do tipo em apenas uma semana na capital francesa: uma loja de pinturas de propriedade de um judeu foi atacada com tiros em sua fachada.

AP
Patrulha policial nas ruas da capital francesa, nesta sexta-feira: onda antissemita na Cidade Luz

Quem divulgou a descoberta do ataque foi Sammy Gholan, fundador do BNVCA – organização que patrulha atos de antissemitismo em território francês. "Depois dos ataques que levaram escolas judaicas e sinagogas a se transformarem em fortes, agora os negociantes judeus também se tornaram alvos", escreveu no site do grupo em referência aos muros de segurança e ao controle rígido feito em estabelecimentos oficialmente judaicos no mundo inteiro (inclusive no Brasil).

Leia mais:
Onda antissemita faz milhares trocarem França por Israel
Suspeito de ataques a centros judeus nos EUA seria ex-líder de grupo antissemita

Relembre os piores ataques terroristas de 2014: 

16 de dezembro - Rebeldes do Talebã invadiram escola no Paquistão e, com tiros de fuzis, rifles e bombas, mataram 145 pessoas, em sua maioria crianças. Ao menos 114 ficaram feridas. Foto: APAtaque em colégio do Paquistão matou ao menos 100 crianças
. Foto: AP/BBC22 de dezembro - Ao menos 27 pessoas morreram e outras 60 ficaram feridas quando uma bomba explodiu em uma estação rodoviária de Gombe, na Nigéria. Foto: AP15 de dezembro - Iraniano fez 17 reféns, entre eles uma brasileira, em um café em Sydney, Austrália. Três pessoas morreram, incluindo o terrorista, e quatro ficaram feridas. Foto: AP09 de dezembro - Militantes do grupo Lutadores pela Liberdade Islâmica de Bagsamoro explodiram um ônibus em Maramag, nas Filipinas. Foram 11 pessoas mortas e 43 feridas. Foto: Keith Kristoffer Bacongco04 de dezembro - Militantes armados do grupo separatista Emirado do Cáucaso atacaram um posto da polícia na região da Chechênia e mataram ao menos 26 pessoas, ferindo outras 36. Foto: AFP25 de novembro - Duas mulheres-bomba detonaram explosivos em Maiduguri, na Nigéria, matando cerca de 78 pessoas . Foto: AP23 de novembro - Boko Haram sequestra grupo de pescadores, cortando a garganta de alguns e atirando os outros no Lago Chad, em Baga, na Nigéria. Ao menos 48 pessoas morreram. Foto: AP23 de novembro - Homem-bomba se explodiu durante partida de vôlei disputada em Yahyakhel, no Afeganistão, matando 61 pessoas. O ataque foi assumido pela Rede de Haqqani. Foto: AP10 de novembro - Em ataque do Boko Haram, um homem-bomba se explodiu dentro de uma escola e matou ao menos 47 estudantes na cidade de Potiskum, na Nigéria. Foto: AP03 de novembro - Homens mascarados armados mataram cinco pessoas e deixaram uma ferida em Al-Ahsa, na Arábia Saudita. Um dos suspeitos foi morto. Foto: Thinkstock02 de novembro - Durante popular desfile na cidade paquistanesa de Lahore, próxima à fronteira com a Índia, homem-bomba se explodiu, matou 45 pessoas e feriu 55. Foto: STRINGER/REUTERS/Newscom02 de novembro - Em ataque assumido pelo grupo Estado Islâmico, uma série de carros-bomba foi detonada na capital iraquiana, Bagdá, deixando 28 mortos e 67 feridos. Foto: Reuters01º de novembro - Homem-bomba do Taleban detonou veículo em frente a um posto policial no Afeganistão. Dez pessoas morreram, incluindo o terrorista, seis policiais e três soldados. Foto: REUTERS/Mohammad IsmailTaliban atacou complexo humanitário em Cabul, capital do Afeganistão, que hospeda agentes humanitários estrangeiros  . Foto: REUTERS/Mohammad Ismail08 de agosto - 14 pessoas ficaram feridas em uma explosão de bomba no metrô de Santiago. No dia seguinte, outro ataque no Chile, desta vez em um mercado em Viña del Mar. Foto: Reuters22 de outubro - Homem matou duas pessoas, inclusive um militar, na capital do Canadá, antes de ser morto pelas autoridades; caso semelhante ocorreu em Quebec um dia antes. Foto: Reuters22 de outubro - Palestino atropelou de propositalmente grupo que aguardava transporte em um ponto. Três pessoas morreram, incluindo uma criança de três meses, e sete ficaram feridas. Foto: ReutersMilitante do grupo xiita Houthi Shiite exibe arma automática em Sanaa, capital iemenita. Foto: Reuters05 de outubro - Jovem do grupo Emirado do Cáucaso detonou bomba acoplada ao corpo no momento em que era revistado por agentes na Rússia. Seis morreram e 12 ficaram feridos. Foto: Reprodução/Youtube20 de junho - Caminhão-bomba foi detonado no vilarejo de Horrah, na Síria, deixando ao menos 34 mortos e 50 feridos. A autoria foi reivindicada pelo grupo Frente Islâmica. Foto: AP15 de junho - Armados, rebeldes do grupo islâmico Al-Shabaab renderam passageiros na cidade de Mpeketoni, no Quênia, e posteriormente mataram ao menos 48 pessoas. Foto: AP Photo08 de junho - Ao menos dez militantes do Talebam invadiram o principal aeroporto do Paquistão, em Karachi, e deixaram ao menos 29 pessoas mortas por meio de tiros e bombas. Foto: AP30 de maio - Rebeldes do grupo islâmico Séléka invadiram uma igreja católica na cidade de Bangui, na República Centro-Africana, e mataram 30 pessoas, incluindo um padre. Foto: AP24 de maio - Integrantes da Al-Qaeda invadiram prédios do governo na cidade de Seiyun, no Iêmen, matando 27 pessoas. Foto: AP24 de maio - O rebelde islâmico Mehdi Nemmouche entrou no Museu Judaico de Bruxelas, na Bélgica, e matou a tiros quatro pessoas. Foto: AP22 de maio - Depois de invadirem com dois veículos uma loja em Urumqi, na China, terroristas atiraram explosivos contra o local, matando ao menos 31 pessoas e ferindo 90. Foto: AP20 de maio - Bombas foram detonadas quase simultaneamente em Jos, na Nigéria, matando 118 e ferindo outros 56: uma em um mercado e a outra nas proximidades de um hospital. Foto: AP1º a 3 de maio - Grupo separatista indiano Frente Nacional Democrática de Bodoland abriu fogo contra casas de três vilarejos vizinhos. Ao menos 35 pessoas morreram. Foto: AP18 de abril - Rebeldes armados aliados ao presidente do Sudão, Salva Kiir Mayardit, invadiram uma unidade da ONU no Sudão do Sul e mataram 58 pessoas. Foto: AP14 de abril - Integrantes do Boko Haram são suspeitos de detonar duas bombas em uma estação de ônibus em Abuja, na Nigéria; 71 pessoas morreram e 124 ficaram feridas. Foto: AP14 de abril - Integrantes do grupo radical islâmico Boko Haram sequestraram 276 jovens estudantes de uma escola em Chibok, na Nigéria. Todas as vítimas eram mulheres. Foto: AP9 de março – Micro-ônibus foi detonado no sudeste iraquiano, destruindo 50 veículos e matando 45 pessoas e ferindo 157. O principal suspeito do ataque é a Al-Qaeda. Foto: AP1º de março - Armados com facas, integrantes de um grupo terrorista separatista invadiram a maior estação de metrô da cidade de Kunming, na China, mataram 28 pessoas e feriram 113 . Foto: Reuters27 de fevereiro - Três bombas foram detonadas simultaneamente em Bagdá, deixando 31 mortos e 70 feridos. No maior dos ataques, uma bomba explodiu em frente a um mercado . Foto: AP25 de fevereiro - Militantes islâmicos invadiram dormitórios de estudantes em Buni Yadi, na Nigéria, com tiros e bombas. A ação do Boko Haram resultou na morte de 59 pessoas. Foto: AFP15 de fevereiro - Militantes rebeldes invadiram um vilarejo em Izghe, na Nigéria, e mataram 106 pessoas (sendo 105 homens). O Boko Haram é o principal suspeito do ataque. Foto: Reuters14 de fevereiro - Ao menos 32 pessoas morreram e dezenas ficaram feridas quando um carro-bomba explodiu na frente de uma mesquita no vilarejo de Yadouda, na Síria. Foto: AP05 de fevereiro - No mesmo dia, três ataques com carros-bomba e um de homem-bomba deixaram 32 mortos em Bagdá. Ao menos 35 ficaram feridos. Nenhum grupo assumiu o ato. Foto: AP1º de fevereiro - Dois carros-bomba explodiram nas proximidades da capital síria, Aleppo, matando 25 pessoas. Nenhum grupo terrorista assumiu a autoria do atentado. Foto: AP26 de janeiro - Terroristas do grupo Boko Haram invadiram o vilarejo de Kawuri, no nordeste da Nigéria, e assassinaram 85 pessoas. Foto: AP15 de janeiro - Seis carros-bomba foram detonados na cidade de Bagdá, matando um total de 40 pessoas. Aproximadamente 88 ficaram feridas. Foto: AP

Na antevéspera, no dia 24 de dezembro, outro caso de antissemitismo, quando um tiro foi disparado contra uma sinagoga. No Natal, dia 25, criminosos atiraram contra a fachada de um restaurante kasher – onde o preparo dos alimentos é feito de acordo com as regras da religião, sob a supervisão de um rabino.

Leia também:
Partido húngaro reúne centenas em manifestação antissemita
Suspeito de ataques a centros judeus nos EUA seria ex-líder de grupo antissemita

Segundo a BNVCA, os responsáveis pelo ataque à loja de impressão descobriu que o dono era judeu devido à mezuzá instalada na entrada do estabelecimento – símbolo que, segundo as tradições, protege o ambiente onde é afixado, sempre no umbral de portas.

O antissemitismo sempre foi uma realidade na Europa e atingiu seu ápice durante a Segunda Guerra Mundial, quando o líder da Alemanha nazista, Adolf Hitler, instituiu aquela que foi chamada de Solução Final Judaica – um plano para eliminar os judeus da Europa da forma mais rápida e eficaz. 

No total, cerca de seis milhões de judeus foram mortos entre 1939 e 1945 nas ruas, em chacinas, em campos de concentração e nos infames "caminhões de gás" e "câmaras de gás". Quase 80 mil viviam na França. 

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas