Polícia da Itália prende 14 suspeitos de planejar ataques neofascistas pelo país

Por Agência Brasil | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Dois anos de investigação e escutas telefônicas revelaram que o grupo armazenava armas e planeava fazer ataques no Natal

Agência Brasil

A polícia italiana anunciou nesta segunda-feira (22) a prisão de 14 neofascistas suspeitos de planejar ataques contra alvos políticos e da magistratura, em uma ação que envolvia ao menos dez assassinos.

2008: Jovem neofascista que atacou homem por causa de cigarro é detido na Itália

Dois anos de investigação e de escutas telefônicas revelaram que o grupo, que deriva de uma organização de extrema-direita banida (Ordine Nuovo ou Ordem Nova), começou a armazenar armas e planeava realizar os ataques no Natal, explicou a polícia em entrevista coletiva.

Um responsável pelas investigações, Mario Parente, contou que um policial foi infiltrado no grupo, e descobriu que planejavam ataques em linhas ferroviárias e contra a Equitalia – agência responsável pela cobrança de impostos no país.

Fini: Ex-neofascista é eleito presidente da Câmara dos Deputados da Itália

Segundo o jornal Repubblica, o grupo pretendia assassinar políticos – "dez ou 11 ao mesmo tempo", explodir a sede da Equitalia com os funcionários no edifício e, por fim, atacar a polícia.

Na busca por armas para levar o plano adiante, a polícia informou que o grupo pretendia assaltar a casa de um colecionador.

A organização Ordine Nuovo, fundada em 1956 com a esperança de relançar o fascismo no país, foi acusada de estar por trás de vários ataques no início dos anos de 1970 e foi dissolvida pelo governo italiano em 1973.

Leia tudo sobre: italianeofascistas

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas