Mãe é presa pela morte de oito crianças a facadas em subúrbio da Austrália

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

A mulher, cujo nome não foi revelado, matou seus sete filhos e o sobrinho em Queensland; eles tinham de 18 meses a 14 anos

Uma mãe australiana foi presa pelo assassinato de oito crianças, informou a polícia neste sábado (20). As crianças foram encontradas mortas dentro da casa da mulher.

Ontem: Ao menos oito crianças são encontradas mortas em casa do subúrbio australiano

AP
Patrulha da polícia perto da casa onde oito crianças foram encontradas mortas no subúrbio de Cairns, extremo norte de Queensland, Austrália (19/12)


Terror: Sequestro em café de Sydney acaba com três mortos e quatro feridos

A suspeita de 37 anos, que está se recuperando de ferimentos a facadas em um hospital, falou com a polícia neste sábado, disse o detetive de Queensland Bruno Asnicar. Ela ainda não foi acusada formalmente pelo crime.

Os policiais não disseram como as crianças foram mortas. Mas Asnicar disse que está examinando várias facas da casa que podem ter sido usadas para matá-los. As crianças tinham idades entre 18 meses e 14 anos, de acordo com Asnicar. A mulher deve ser mãe de sete das oito crianças mortas no local. Acredita-se que a oitava vítima seria sua sobrinha.

Polícia de Queensland foi chamada para a casa no subúrbio de Cairns Manoora na sexta-feira de manhã depois de receber um relatório de uma mulher com ferimentos graves. Quando chegaram à casa, encontraram os corpos das crianças.

A mulher, cujo nome não foi divulgado, também foi encontrada na casa com as crianças, que sofreram facadas no peito. Asnicar disse que ela está em condição estável, lúcida e conversando com a polícia.

"Nós não estamos procurando mais nenhum suspeito - A comunidade em geral está segura", disse Asnicar.

Um médico legista estava realizando as autópsias para determinar as causas da morte, e a polícia continuavam a vasculhar a casa para as provas.

"Eles estão vasculhando a casa para estabelecer com 100% de certeza o que aconteceu naquela casa quando essas infrações foram cometidas", explicou Asnicar.

Ele desmentiu os rumores de que a casa tinha era alvo frequente de chamadas para o Departamento de Serviços Sociais.

"Não é uma casa de problema, como tem sido especulado", disse ele. "Este é um bairro comum -. Um monte de gente boa, um monte de crianças na área Isso é algo que chamou a nossa atenção. É uma coisa absolutamente trágica."

Lisa Thaiday, que disse ser prima da mulher ferida, disse anteriormente que um dos outros filhos da mulher, de 20 anos, chegou em casa e encontrou seus irmãos e irmãs mortas dentro da casa.

"Eu vou vê-la agora, ela precisa de conforto", disse ela. "Somos uma grande família. Eu simplesmente não posso acreditar. Nós acabamos de descobrir (sobre) os bebês."

A tragédia aconteceu enquanto a Austrália ainda se recupera do choque provocado por um cerco mortal em um café de Sydney. Na segunda-feira, um homem armado invadiu o café no coração da cidade e fez 18 reféns. Dois deles foram mortos junto com o atirador depois de a polícia invadir o local 16 horas mais tarde, em uma tentativa de acabar com o cerco. A polícia havia dito anteriormente que havia 17 reféns no café, mas revisou o número depois de uma nova contagem.

"A notícia é de partir o coração", disse o primeiro-ministro Tony Abbott em um comunicado. "Todos os pais sentem uma tristeza angustiante pelo que aconteceu. Este é um crime indizível. Estes são dias difíceis para o nosso país."

*Com AP

Leia tudo sobre: australiacriancasfacadasabbott

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas