Espião libertado forneceu informações cruciais para processos contra cubanos

Por AP |

compartilhe

Tamanho do texto

Informações obtidas por agente colaboraram para punições de cubanos nos Estados Unidos

AP

Cuba vai libertar um espião que trabalhava para o governo dos Estados Unidos e está preso há quase 20 anos. A informação vem do governo dos Estados Unidos e é parte de um esforço para melhorar as relações entre os dois países

O espião não é um cidadão americano, mas sua identidade ainda é mantida em segredo, segundo oficiais do governo que falaram sob anonimato. 

Os oficiais afirmaram que o espião libertado nesta quarta-feira forneceu informações importantíssimas para diversos processos judiciais contra grupos acusados de espionagem nos Estados Unidos. Entre esses grupos está o Cuban Five (os cinco de Cuba). O governo americano vai soltar três prisioneiros do Cuban Five ainda em seu poder em troca de seu espião, disseram os oficiais.

O presidente dos EUA, Barack Obama, anunciou nesta quarta-feira (17) uma série de mudanças nas relações entre o país e Cuba. Foto: AP Photo/Doug Mills, PoolO líder de Cuba, Raúl Castro, discursa sobre retomada das relações com os EUA, nesta quarta-feira. Foto: Youtube/ReproduçãoPresidente Barack Obama durante discurso no Salão Leste da Casa Branca em Washington, EUA . Foto: APEstados Unidos e Cuba não se relacionam desde 1962 -  obstáculos às relações econômicas foram adotados pelos EUA. Foto: AP Photo/SABC Pool, FileFotos mostra Alan Gross, ex-prisioneiro americano libertado por Cuba, chegando na Andrews Air Force Base. Foto: AP Photo/Sen. Jeff FlakeAlan Gross com sua esposa, Judy, antes de deixar Cuba. Foto: AP Photo/Sen. Jeff FlakeFoto de Alan Gross, prisioneiro americano libertado por Cuba. Foto: AP Photo/James L. Berenthal, FileAlan Gros, prisioneiro americano libertado por Cuba, e sua mulher, Judy Gross, em local desconhecido . Foto: AP Photo/Gross Family, File


O grupo Cuban Five fez parte da rede de espionagem chamada Wasp, criada pelo então presidente Fidel Castro para realizar operações no sul da Flórida. Esses homens, que são considerados heróis em Cuba, foram presos em 2001 em Miami sob acusações de espionagem contra o governo americano. Dois prisioneiros foram libertados há alguns anos após o fim de suas sentenças.

A troca de prisioneiros chega em um momento em que os países estão trabalhando para normalizar suas relações diplomáticas. Como parte dos acordos, o americano Alan Gross também foi libertado de uma prisão cubana nesta quarta-feira. Ele cumpria pena de 15 anos após ser preço em 2009 ao tentar montar uma conexão à internet para uma pequena comunidade judaica em Cuba.

Os oficiais do governo disseram que o espião não-identificado solto nesta quarta-feira forneceu informações usadas na prisão de Ana Belen Montes, ex-analista do Departamento de Defesa dos Estados Unidos. Ela foi presa em 2001 sob acusações de espionar os Estados Unidos a mando de Cuba e atualmente cumpre sentença de 25 anos. 

O espião também colaborou para os processos contra o analista do Departamento de Inteligência do Estado Walter Kendall Myers e sua esposa, Gwendolyn. Eles foram presos em 2010 por espionarem os EUA a mando de Cuba por 30 anos. Atualmente, cumprem prisão perpétua. 

Leia tudo sobre: estados unidoscuba

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas