O primeiro-ministro da Austrália, Tony Abbott, classificou o sequestrador como um homem profundamente perturbado

Em coletiva na madrugada desta terça-feira (16), tarde na Austrália, o primeiro-ministro da Austrália, Tony Abbott, classificou o sequestrador, Man Haron Monis, como um homem profundamente perturbado. Abbott confirmou que o homem fez parte de uma lista de pessoas que eram obervadas pela policia australiana, mas que não era considerado um possível terrorista. Segundo ele, o país deve à normalidade nos próximos dias.

Leia mais:  Polícia invade café onde suposto terrorista mantém reféns na Austrália

O sequestro em um café de Sydney, Austrália, acabou em tiroteio nesta segunda-feira (15) – terça no horário australiano. De acordo com as agências de notícias internacionais, três pessoas morreram e quatro acabaram gravemente feridas.

Entre as vítimas fatais está o autor do sequestro, Man Haron Monis, que de acordo com a polícia local. seria um  refugiado iraniano acusado de abuso sexual e conhecido por ter enviado cartas de ódio a familiares de soldados australianos mortos no exterior.

O sequestro acabou depois de um grande número de policiais fortemente armados invadir o café onde um atirador mantinha um número desconhecido de pessoas.

Vítimas:  Brasileira passa bem após ficar 16 horas sob poder de iraniano em café de Sydney

Imagens impressionantes divulgadas pela mídia australiana nesta segunda mostravam possíveis reféns com as mãos pressionadas contra as janelas do café. Eles estavam segurando uma bandeira preta com escrita árabe "Não há Deus além de Alá e Maomé é o profeta de Alá."


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.