UE condena Turquia por prisões de jornalistas: "Vai contra os valores europeus"

Por Reuters | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Batidas realizadas neste domingo culminaram com prisão de ao menos 24 pessoas que, segundo presidente, fazem parte de rede terrorista; Turquia objetiva entrar para a União Europeia

Reuters

Batidas policiais turcas nos meios de comunicação são incompatíveis com a liberdade de imprensa e contrariam os valores europeus, disse a União Europeia em um comunicado contundente publicado neste domingo (14).

AP
Mulheres exibem jornais de grupo que foi atacado pelo governo turco: acusação de terrorismo

Pouco antes, a polícia turca invadira instalações de meios de comunicação próximos a um clérigo muçulmano baseado nos Estados Unidos e prendeu 24 pessoas, em operações contra o que o presidente Tayyip Erdogan diz ser uma rede terrorista conspirando para derrubá-lo.

Leia mais:
Polícia turca invade sedes de jornal e de canal de televisão e prende 24 pessoas

"As batidas policiais e prisões de vários jornalistas e representantes da mídia na Turquia, ocorridas hoje (domingo), são incompatíveis com a liberdade dos meios de comunicação, que é um princípio essencial da democracia", disse o chefe de política externa da UE, Federica Mogherini, e o Comissário Johannes Hahn, em declaração conjunta.

AP
O editor-chefe do jornal Zaman, Ekrem Dumanli, é cercado por multidão ao ser levado pela polícia

"Esta operação vai contra os valores e normas europeus, que a Turquia aspira a ser parte", resumiram eles.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas