Ato foi contra decisões de tribunais de não acusar policiais envolvidos em mortes de negros no Missouri e em Nova York

Reuters

Em Nova York, manifestantes protestam contra os assassinatos de homens negros desarmados por parte de policiais
Reuters
Em Nova York, manifestantes protestam contra os assassinatos de homens negros desarmados por parte de policiais


Milhares de manifestantes marcharam em Washington, Nova York e Boston no sábado (13) contra as mortes de homens negros desarmados por policiais.

Os organizadores disseram que as manifestações estavam entre as maiores na recente onda de protestos contra as mortes que colocaram os holofotes sobre as relações raciais nos Estados Unidos.

Entenda:

Protestos se espalham pelos EUA após policial não ser indiciado
Últimos minutos de Michael Brown têm versões contraditórias

As manifestações foram em geral pacíficas, embora a polícia em Boston tenha dito que prendeu 23 pessoas que tentaram bloquear uma estrada.

Policiais em Oakland, Califórnia, disseram ter detido 45 pessoas por vandalismo, por não terem dispersado, por resistência à prisão e por outras acusações no sábado à noite, após milhares terem tomado a ruas.

Decisões de tribunais de não acusar os policiais envolvidos nas mortes de Michael Brown, no Missouri, e de Eric Garner, em Nova York, colocaram o tratamento de minorias pela polícia de volta na agenda nacional.

"Vamos manter a luz sobre Mike Brown...em todas as vítimas. A única maneira de fazer as baratas correrem é manter a luz acesa", disse o líder de direitos civis reverendo Al Sharpton, cuja Rede de Ação Nacional organizou a manifestação em Washington.

Sharpton pediu que o Congresso aprove a legislação que permitirá que promotores federais assumam casos envolvendo violência da polícia.


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.