Palestino fere cinco israelenses em suposto ataque com ácido

Por Reuters |

compartilhe

Tamanho do texto

Agressor feriu um homem e quatro crianças, disseram a polícia e militares de Israel; ele foi ferido a tiros logo depois do ataque

Reuters

Um palestino atirou uma substância química que pode ser ácido em uma família israelense na Cisjordânia, nesta sexta-feira (12), ferindo um homem e quatro crianças, disseram a polícia e os militares de Israel.

Hoje: Embaixada de Israel em Atenas é alvo de tiros

Reuters
Membro mascarado do Hamas carrega um modelo de um foguete durante manifestação à frente do 27º aniversário da fundação do Hamas na Faixa de Gaza


Ontem: Autoridades palestinas e israelenses discordam sobre autópsia de ministro

O agressor foi ferido a tiros logo depois do ataque, que aconteceu em um posto de verificação no sul de Jerusalém.

A porta-voz da polícia Luba Samri disse que o agressor “derramou uma substância desconhecida e que se suspeita ser ácido em uma família judaica”. Ela afirmou que um civil no local atirou contra o agressor e o feriu.

O incidente ocorre em um momento de escalada nas tensões entre palestinos e israelenses, especialmente na Cisjordânia e em Jerusalém Ocidental, territórios que Israel ocupou na Guerra dos Seis Dias em 1967 e que os palestinos desejam para um Estado independente, juntamente com Gaza.

Ninguém assumiu a autoria do ataque de imediato.

No curso dos últimos quatro meses, 10 israelenses e um visitante estrangeiro foram mortos por palestinos em atentados com faca ou carro, e pelo menos uma dezena de palestinos também perderam a vida, entre eles a maioria dos que cometeram os atentados.

Na quarta-feira, um ministro palestino morreu pouco depois de um confronto com um policial de fronteira israelense na Cisjordânia. O policial agarrou o ministro pelo pescoço durante uma briga e minutos depois ele caiu no chão com problemas respiratórios.

Uma autoridade de Israel presente à autópsia afirmou que o ministro morreu de ataque cardíaco, possivelmente causado pelo estresse, mas o patologista palestino concluiu que a pressão em seu pescoço foi a causa mais imediata do ataque cardíaco.

Leia tudo sobre: israelpalestinosataque com acidocisjordania

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas