Soldado foi sequestrado por militantes ligados à Frente Nusra e ao Estado Islâmico na cidade libanesa de Arsal, em agosto

Reuters

BEIRUTE (Reuters) - O braço da Al Qaeda na Síria, a Frente Nusra, afirmou nesta sexta-feira que matou um soldado libanês mantido em cativeiro como retaliação à detenção pelas autoridades libanesas de mulheres identificadas como esposas de militantes islâmicos.

O soldado era um das mais de duas dezenas de membros das forças de segurança sequestradas por militantes ligados à Frente Nusra e ao Estado Islâmico quando promoveram um ataque contra a cidade fronteiriça libanesa de Arsal, em agosto.

Autoridades do Líbano anunciaram nesta semana a prisão de duas mulheres ligadas ao líder do Estado Islâmico, Abu Bakr al-Baghdadi, quando elas cruzavam a fronteira da Síria há nove dias.


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.