Tabaré Vázquez sinalizou continuar política econômica do país ao nomear ministros que vão ajudá-lo a governar o território

Reuters

O presidente eleito do Uruguai, Tabaré Vázquez, sinalizou dar continuidade à política econômica do país ao nomear ministros que vão ajudá-lo a governar o país, que luta contra a inflação e implementa uma inovadora legislação de liberalização da maconha.

Dia 1: Vázquez vence e governará o Uruguai com apoio no Congresso

Presidente eleito Tabaré Vazquez discursa durante um comício em Montevidéu após saber dos resultados das eleições uruguaias (30/11)
Reuters
Presidente eleito Tabaré Vazquez discursa durante um comício em Montevidéu após saber dos resultados das eleições uruguaias (30/11)


Segundo turno: Uruguaios vão às urnas com candidato da esquerda como favorito

O vice-presidente Danilo Astori vai comandar o Ministério da Fazenda, anunciou o oncologista de 74 anos Vázquez, que venceu confortavelmente o segundo turno da eleição presidencial no domingo. Vázquez tomará posse em março, substituindo o atual presidente, José Mujica.

A principal preocupação para Astori será a inflação, que a 8,11% está acima da meta de 7%.

"A política macroeconômica vai continuar sob o mesmo critério que nós temos tido ao longo dos últimos 10 anos", disse Astori à Reuters. "Vamos agir com disciplina e rigor para controlar as pressões inflacionárias que o país ainda tem."

Quando Vázquez foi presidente pela primeira vez, entre 2005 e 2010, a combinação de programas sociais com políticas pró-mercado ajudou a iniciar um período de uma década de crescimento robusto.

Desta vez, Vázquez herdará uma lei nova, apoiada por Mujica, que legaliza a produção e venda de maconha, que faz do Uruguai o primeiro país no mundo a fazê-lo.

Diversos obstáculos estão impedindo o governo de cumprir prazos na implementação da lei. Até o plano para começar a vender maconha em março parece ambicioso, uma vez que o governo ainda está concedendo licenças de cultivo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.