Autoridades se recusaram a divulgar nome ou nacionalidade da mulher, que foi descrita como uma das mulheres de Baghdadi

Reuters

O Exército do Líbano prendeu a mulher e a filha do líder do Estado Islâmico, Abu Bakr al-Baghdadi, quando elas cruzavam a fronteira da Síria há nove dias, disseram autoridades do setor de segurança nesta terça-feira (2).

Ontem: Militares alertam para possíveis ataques do Estado Islâmico nos EUA

Suposta foto do líder do Estado Islâmico, Abu Bakr al-Baghdadi, durante sermão em mesquita no Iraque (julho/2014)
AP
Suposta foto do líder do Estado Islâmico, Abu Bakr al-Baghdadi, durante sermão em mesquita no Iraque (julho/2014)

Terror: Em meio a guerras no Oriente Médio, papa pede tolerância em visita à Turquia

As autoridades se recusaram a divulgar o nome ou a nacionalidade da mulher, que foi descrita como uma das mulheres de Baghdadi. O jornal libanês As-Safir disse que o Exército fez a detenção em coordenação com "aparato estrangeiro de inteligência".

A prisão representa um golpe para Baghdadi e pode ser usada como moeda de troca contra seu grupo, que capturou vários estrangeiros, fez presos iraquianos e sírios e declarou um califado em territórios conquistados na Síria e no Iraque.

Coragem: Mãe holandesa viaja à Síria e resgata filha que havia aderido ao EI

Uma alta fonte de segurança libanesa disse que a mulher de Baghdadi estava viajando com uma de suas filhas, contrariando relatos anteriores de que seria um filho. Exames de DNA foram realizados para verificar se a criança era filha de Baghdadi, segundo a fonte.

Elas foram detidas no norte do Líbano. Investigadores estavam interrogando a mulher na sede do Ministério da Defesa libanês, de acordo com autoridades de segurança. Não houve nenhuma reação de imediato por parte do Estado Islâmico à prisão.

O Estado Islâmico tomou grandes porções de território do Iraque e da Síria, vizinha do Líbano no leste.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.