Meses de combates com separatistas deixaram muitos habitantes sem comida e medicamentos suficientes

Reuters

Caminhões de comboio russo com ajuda humanitária segue na direção da fronteira com a Ucrânia, perto da cidade de Donetsk
Reuters
Caminhões de comboio russo com ajuda humanitária segue na direção da fronteira com a Ucrânia, perto da cidade de Donetsk

A Ucrânia disse neste domingo (30) que um comboio de 106 veículos havia entrado no leste do seu território, vindo da Rússia, sem a permissão de Kiev, e acusou Moscou de uma vez mais usar carregamentos de ajuda humanitária para enviar armas e munição a separatistas rebeldes.

LEIA: Morreria pela Ucrânia, diz ativista após deixar Brasil para lutar com pró-russos

Em Donetsk, cidade controlada pelos separatistas, os confrontos se intensificaram no aeroporto, disse uma testemunha da Reuters. Há bombardeios constantes das forças do governo e dos rebeldes, mesmo depois da assinatura em setembro de um acordo de paz.

Meses de combates com separatistas deixaram muitos habitantes sem comida e medicamentos suficientes. A Rússia tem despachado regularmente carregamentos com ajuda, uma ação que o governo de Kiev, pró-Ocidente, denuncia como cínica.

“A maior parte dos suprimentos vai para os rebeldes, parte na forma de comida, mas principalmente em munição, equipamentos e outras coisas para operações de combate”, afirmou Andriy Lysenko, porta-voz militar ucraniano.

O mais recente carregamento russo é o oitavo desde agosto, de acordo com informação da agência russa de notícias RIA.

Kiev e os rebeldes se acusam de violar os termos do cessar-fogo, aumentando temores de que o acordo pode entrar em colapso total.

Lysenko disse que três militares ucranianos e um civil de 82 anos morreram nas últimas 24 horas. Ele também afirmou que posições ucranianas na cidade de Mariupol estão sob ataque rebelde.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.