Centenas de pessoas se reuniram na região central do Cairo para homenagear dezenas de civis mortos três anos atrás

Reuters

A polícia egípcia disparou gás lacrimogêneo e prendeu 25 pessoas nesta quarta-feira no centro do Cairo, onde centenas se reuniram para lembrar a morte de dezenas de manifestantes mortos pelas forças de segurança em 2011, informou o Ministério do Interior do Egito à agência de notícias estatal Mena.

Forças de segurança caminham pelas ruas da região central do Cairo, na tarde desta quarta-feira
Reuters
Forças de segurança caminham pelas ruas da região central do Cairo, na tarde desta quarta-feira

A reunião foi um gesto raro de desafio contra as rígidas regras de manifestações impostas pelo governo do presidente egípcio, Abdel Fattah al-Sisi, ex-chefe do Exército que também permitiu que tribunais militares julguem civis, em uma repressão que começou contra os apoiadores islâmicos do presidente deposto Mohamed Mursi.

Os ativistas haviam planejado uma marcha pelas ruas próximas da Praça Tahrir no aniversário da morte de 42 pessoas três anos atrás, quando os egípcios protestaram contra o governo que assumiu o poder após o levante que derrubou o autocrata Hosni Mubarak.

Leia mais:
ONG acusa Egito de planejar massacre de pelo menos 817 pessoas em protesto

Uma fonte de segurança disse que os detidos serão libertados “logo”, mas no mês passado foi aprovado um decreto que abre a possibilidade de julgá-los em cortes militares por bloquear ruas.

Em Alexandria, quatro pessoas foram presas, incluindo a destacada ativista Mahienour el-Massry, de acordo com a página “Libertem Mahienour” no Facebook.

Veja fotos do Egito sem Mubarack três anos depois:


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.