Mobilização foi gerada a partir de uma petição que pedia a negação de seu visto e alcançou mais de 150 mil assinaturas

BBC

Alçado à fama no Brasil na semana passada após seu ter visto de entrada no país proibido pelo Itamaraty, o "instrutor de pegação" suíço Julien Blanc acaba de ser barrado também no Reino Unido.

Leia também:
Diplomatas dizem que "professor cafetão" não poderá entrar no Brasil
Itamaraty confirma veto a visto de instrutor acusado de violentar mulheres

Trecho de um dos vídeos de Blanc com
Reprodução
Trecho de um dos vídeos de Blanc com "técnicas para fazer mulheres pedirem para dormir com você"

Como aconteceu por aqui, a mobilização foi gerada a partir de uma petição que pedia a negação de seu visto e alcançou mais de 150 mil assinaturas. A versão brasileira do abaixo assinado teve adesão de mais de 400 mil nomes.

Mais:  Quem é Julien Blanc e por que ele está impedido de entrar no Brasil

Blanc foi recentemente expulso do território australiano. O argumento, como em todos os casos, são os métodos considerados machistas e pautados por violência, intimidação e humilhação que ensina mundo a fora em palestras e vídeos destinados a homens solteiros em busca de mulheres.

'Repugnantes'

À BBC inglesa, a secretária de combate ao crime Lynne Featherstone disse estar "satisfeita, porque o senhor Blanc não entrará em nosso território". Na semana passada, a secretária afirmou estar "extremamente preocupada" com as "declarações sexistas e absolutamente repugnantes" feitas pelo suíço sobre mulheres.

"Se ele puder dar suas palestras no Reino Unido, não tenho dúvidas de que os casos de abusos sexuais e intimidações vão aumentar", afirmou.

O governo britânico tem a prerrogativa de barrar pessoas cuja presença "não contribua para o bem público". Porta-vozes disseram, entretanto, que não irão comentar "casos individuais de exclusões".

A decisão foi elogiada por ativistas e cidadãos que participaram da mobilização contra a entrada de Blanc em território britânico. Caso da escritora e colunista Daisy Buchannan, que tuitou: "Fico muito feliz que, no #DiaInternationaldosHomens, Julien Blanc não possa ser um homem internacional".

'Treinamento'

O suíço trabalha na Real Social Dynamics (RSD), empresa norte-americana que se define como "a maior empresa de treinamento para encontros do mundo". A RSD promete a seus clientes reverter a situação quando mulheres dizem não às investidas sexuais e métodos para "ativar a prostituta que existe dentro delas".

Não é a primeira vez na história recente que o governo do Reino Unido proíbe a entrada de estrangeiros no país.

No ano passado, os ativistas anti-islâmicos Pamela Geller e Robert Spencer também tiveram seus vistos de entrada vetados. Em 2009, a Grã-Bretanha proibiu que o político alemão de extrema direita Geert Wilders entrasse em seu território.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.