'Entrei por medo, mas alguns acreditam que matar e torturar é uma forma de espalhar o Islã', afirmou o desertor

BBC

Um desertor do autodenominado "Estado Islâmico" disse que se juntou ao grupo "por medo", mas que alguns integrantes "realmente acreditam que matar e torturar é uma forma de espalhar o Islã".

Assista ao depoimento no link  abaixo:

Desertor do 'Estado Islâmico' relata estratégia de terror na Síria

Desertor do 'Estado Islâmico' relata estratégia de terror na Síria
BBC
Desertor do 'Estado Islâmico' relata estratégia de terror na Síria

O grupo controla partes da Síria e do Iraque e tornou-se conhecido pelo mundo pela decapitação de reféns ocidentais em vídeos postados na internet.

Mas dezenas de sírios em cidades sob o comando do grupo também foram mortos nos últimos meses.

Este vídeo mostra imagens raras da cidade de Deir ez-Zor, no leste da Síria, onde tudo é rigidamente controlado pelos militantes.

O desertor do 'Estado Islâmico' disse ao repórter da BBC Paul Wood ter visto um comandante dar uma faca ao seu filho de oito anos. Então, ele forçou a criança a cortar a cabeça de um prisioneiro.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.