Menino de cinco anos é mais novo especialista em computação

Por BBC | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Ayan Qureshi criou sua própria rede de computadores em casa e conhecimento foi certificado pela gigante Microsoft

BBC

Um menino inglês se tornou o mais jovem especialista em computação de que se tem notícia. Ayan Qureshi foi certificado como profissional pela empresa Microsoft, após passar em um teste de habilidades a que se submeteu aos cinco anos de idade.

BBC
Menino prodígio: Ayan Qureshi foi certificado como profissional pela empresa Microsoft

O menino, que agora tem seis anos, criou sua própria rede de computadores em casa. Ele disse à BBC que achou o exame difícil, porém divertido, e espera se tornar um empreendedor na área.

Seu pai, Asim, que é consultor na área de TI (Tecnologia da Informação), disse que "o mais desafiador (ao prestar o exame) foi explicar a linguagem do teste a um menino de cinco anos".

"Mas ele pareceu entender e tem uma memória muito boa", afirmou.

Asim começou a ensinar computação ao filho quando este tinha três anos. Ele brincava com computadores antigos para entender conceitos como hard drive e placa-mãe.

"Qualquer coisa que eu falasse ele lembrava no dia seguinte. Então comecei a alimentá-lo com mais informação", explicou. "O uso excessivo de computadores nessa idade pode ter um efeito negativo, mas, no caso de Ayan, ele aproveitou uma oportunidade."

Laboratório

Ayan tem seu próprio laboratório de computação em sua casa, em Coventry (centro da Inglaterra), com uma rede de informática que ele mesmo construiu.

O menino passa cerca de duas horas por dia aprendendo sobre sistemas operacionais e como instalar programas.

Quando Ayan foi prestar o exame da Microsoft - geralmente prestado por quem quer se tornar técnico em TI -, os monitores da empresa acharam que ele era muito novo para ser um candidato. O pai assegurou-lhes que o menino ficaria bem.

A família Qureshi se mudou do Paquistão para a Inglaterra em 2009.

"Estou muito, muito orgulhosa", disse a mãe do menino, Mamoona. "Não quero que ele bata um recorde mundial a cada dia. Mas quero que ele dê o seu melhor no que quer que faça na vida."

Ayan contou que sonha em criar no Reino Unido uma região semelhante ao Vale do Silício americano, concentrando empresas de tecnologia, e em abrir uma empresa própria.

Leia tudo sobre: Ayan Qureshitecnologiacomputação

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas