Os ataques aconteceram após um grande número de veículos militares não identificados chegarem às áreas dominadas pelos rebeldes

BBC

A correspondente da BBC na cidade informa que o bombardeio foi o pior em mais de um mês, durante ao menos oito horas. Segundo ela, aparentemente, os ataques partem tanto do governo quanto dos rebeldes.

Veículos militares não identificados aguardam nas imediações de Snizhne, a 80km de Donetsk; mais de 80 deeles foram vistos hoje nas áreas controladas pelos separatistas
AP Photo
Veículos militares não identificados aguardam nas imediações de Snizhne, a 80km de Donetsk; mais de 80 deeles foram vistos hoje nas áreas controladas pelos separatistas

Os ataques começaram após um grande número de veículos militares não identificados serem vistos nas áreas dominadas pelos rebeldes. A Ucrânia diz que acredita que os rebeldes tenham recebido material da Rússia.

Mais de 4 mil morreram desde que os conflitos começaram em abril, quando separatistas pró-Rússia tomaram o controle de regiões em Donetsk e Luhansk. Desde 5 de setembro, havia um frágil cessar-fogo na região, apesar de centenas terem sido mortos desde então.

Temores sobre a retomada de um conflito de larga escala cresceram após os separatistas realizarem eleições no domingo, desafiando o governo da Ucrânia e os países ocidentais.

A Rússia reconheceu a eleição na qual o líder separatista Alexander Zakharchenko, 38, foi declarado a principal autoridade da autodeclarada República do Povo de Donetsk.

Já Igor Plotnitsky, um ex-militar soviético de 50 anos, foi eleito a principal autoridade da autoproclamada República do Povo de Luhansk, no leste.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.