Ativistas pró-democracia e a polícia se enfrentam novamente em Hong Kong

Por Reuters |

compartilhe

Tamanho do texto

Dezenas de policiais com cacetetes e escudos avançaram para o local onde centenas de manifestantes estavam reunidos

Reuters

Manifestantes pró-democracia de Hong Kong entraram em confronto com a polícia no bairro densamente povoado de Mong Kok na madrugada desta quinta-feira (6), em uma escalada de tensão em um dos três locais restantes de protestos pela primeira vez em mais de duas semanas.

Outubro: Ativistas convocam referendo sobre futuro dos protestos em Hong Kong

Reuters
Manifestantes usando máscaras de Guy Fawkes passam por policiais em uma rua ocupada por ativistas em Hong Kong (5/11)

Músico: Kenny G incomoda governo chinês ao visitar ativistas em Hong Kong

Dezenas de policiais equipados com cacetetes e escudos avançaram para o local onde centenas de manifestantes estavam reunidos, e houve confrontos a partir de 2h (horário local) no bairro que se tornou o centro das cenas de violência nas ruas.

Mais de 30 ativistas usando máscaras de Guy Fawkes, que conspirou para tentar matar um rei da Grã-Bretanha em 1605 e se tornou símbolo dos protestos anticapitalistas pelo mundo, juntaram-se aos manifestantes que exigem maior democracia na ex-colônia britânica.

Os manifestantes, liderados por estudantes, exigem do Partido Comunista chinês que cumpra a promessa de conceder democracia plena à cidade, que retornou ao domínio de Pequim em 1997.

China: Ativistas falam em abandonar negociações com governo de Hong Kong

Em agosto, Pequim ofereceu ao povo de Hong Kong a oportunidade de eleger seu próprio líder em 2017, mas disse que apenas dois ou três candidatos poderiam concorrer depois de receberem o aval de um comitê formado principalmente por apoiadores de Pequim.

Ativista usa escudo inspirado no herói da série em quadrinhos 'Capitão América' em uma rua principal do bairro Mong Kok, em Hong Kong  (6/10). Foto: ReutersManifestantes pró-democracia bloqueiam cruzamento no distrito de Mongkok (4/10). Foto: Bobby Yip/ReutersHomem segura cartaz com os dizeres 'Não seja fraco' perto de bloqueio feito pelo manifestantes pró-democracia (4/10). Foto: Bobby Yip/ReutersHomem tenta remover uma barricada feita pelos manifestantes pró-democracia que bloqueava rua no distrito de Mongkok (4/10). Foto: Bobby Yip/ReutersHomem que teria começado briga com manifestantes pró-democracia em Hong Kong fica algemado no chão (4/10). Foto: Bobby Yip/ReutersManifestantes pró-democracia (à esq.) para ativista anti-Pequim perto de barraca na rua principal de Hong Kong (3/10). Foto: ReutersAtivista pró-democracia, não retratado, discute com manifestante pró-Pequim, à dir., após ser chutado em Hong Kong (3/10). Foto: ReutersManifestante pró-democracia, centro, agarrado por um pró-Pequim, à dir., no distrito comercial de Mongkok, Hong Kong (3/10) . Foto: ReutersManifestante se emociona enquanto implora por uma solução pacífica para os protestos pró-democracia em Hong Kong (2/10). Foto: APManifestantes levantam as mãos como gesto de ação pacífica durante a mudança de turno policial em frente a um complexo do governo em Hong Kong (2/10). Foto: APAtivistas protestam enquanto cerimônia de hasteamento da bandeira chinesa é realizada com participação do líder de Hong Kong, Leung Chun-ying, na China (1/10). Foto: APPara editora da BBC, reivindicações fornecem 'propósito' ao movimento estudantil (30/09). Foto: ReutersÔnibus com mensagens de apoio para em uma rua no distrito comercial de Mongkok depois de milhares de manifestantes bloquearem estrada em Hong Kong (30/09). Foto: ReutersManifestantes bloqueiam a rua principal do distrito financeiro central em frente à sede do governo em Hong Kong (29/09). Foto: ReutersManifestante usa celular enquanto tem momento de descanso em Hong Kong (29/09). Foto: Reutersmanifestantes fogem de bombas de efeito moral em Hong Kong (28/09). Foto: ReutersMarcha pede eleições democráticas em Hong Kong (14/09). Foto: Reuters

Ativistas: Estudantes e governo de Hong Kong mantêm posições antes de diálogo

Os estudantes esperam levar seu protesto aos governantes do Partido Comunista em Pequim, e espera-se que anunciem detalhes de seu novo plano de batalha nesta quinta-feira.

Manifestantes bloqueiam há mais de um mês as principais ruas dos bairros mais importantes econômica e politicamente de Hong Kong.

Leia tudo sobre: protestos em hong konghong kongchina

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas