México prende ex-prefeito e sua mulher pelo desaparecimento de 43 estudantes

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

José Luis Abarca e María de los Ángeles Pineda foram presos na Cidade do México, de acordo com 2 funcionários da segurança

A polícia federal prendeu nesta terça-feira (4) o ex-prefeito da cidade de Iguala, sul do México, por ter ordenado os ataques de 26 de setembro que deixaram seis mortos e 43 estudantes desaparecidos.

Apoio: Presidente do México recebe pais dos 43 estudantes desaparecidos

AP
Ex-prefeito de Iguala, José Luis Abarca, e a mulher, Maria de los Angeles Pineda Villa, falam com representantes do governo estadual em Chilpancingo, México (8/05)


Crise: Governador mexicano deixa cargo em meio a protesto por desaparecimentos

José Luis Abarca e sua mulher, María de los Ángeles Pineda, foram presos na Cidade do México, de acordo com dois funcionários da segurança que falaram sob condição de anonimato porque não estavam autorizados a falar com a imprensa. Eles não forneceram mais detalhes sobre a ação. O casal está sob a custódia do Gabinete do Procurador-Geral.

Mais de um mês após os ataques, as autoridades mexicanas ainda não determinaram o paradeiro dos 43 estudantes. A prisão do casal pode clarear as pistas pelo paradeiro do grupo, que permanece um mistério.

No Brasil: Desaparecimentos não ficarão impunes, diz cônsul do México

Os alunos de uma universidade que formava professores desapareceram após ataque da polícia em Iguala, sul do estado mexicano de Guerrero. Autoridades dizem que a ação policial foi ordenada por Abarca, por achar que o grupo foi às ruas com o objetivo de interromper discurso do María. Os policiais que participaram do ato trabalhavam para o cartel Guerreros Unidos, assim como a mulher do prefeito.

DNA: Testes mostram que corpos achados em vala no México não são de alunos

A procura pelos alunos levou autoridades para as colinas de Iguala onde 30 corpos foram encontrados em valas comuns, mas nenhum foi identificado até o momento como um dos estudantes. Na semana passada, as buscas voltaram-se para um barranco perto de um depósito de lixo na cidade vizinha de Cocula, mas os restos mortais ainda não foram identificados.

*Com AP

Leia tudo sobre: desaparecimento méxicomexicoguerreropinedacoculaigualaabarca

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas