Atentado suicida na fronteira entre Índia e Paquistão deixa 55 mortos

Por Agência Lusa |

compartilhe

Tamanho do texto

Explosão suicida aconteceu neste domingo; sua autoria é reivindicada por três grupos de talibãs paquistaneses

STRINGER/REUTERS/Newscom
Atentado na fronteira entre Índia e Paquistão deixa 55 mortos

O atentado suicida ocorrido hoje (2) do lado paquistanês da fronteira entre a Índia e o Paquistão deixou pelo menos 55 mortos e 120 feridos, segundo o último balanço da polícia. A explosão aconteceu perto de um posto fronteiriço onde ocorria uma cerimônia com música e um desfile militar, que assistem habitualmente muitas pessoas dos dois lados da fronteira.

Quando a multidão começava a deixar o local, ocorreu uma forte explosão, do lado paquistanês, informou Amin Wains, chefe da polícia de Lahore.

"O atentado fez 55 mortos, incluindo mulheres e crianças, e 120 feridos", disse Mushtaq Sukhera, chefe da polícia do Punjab. Este é o atentado mais violento ocorrido no Paquistão desde setembro de 2013, quando uma explosão provocou 80 mortos numa Igreja em Peshawar.

O primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi, condenou o atentado, considerou-o chocante e apresentou condolências aos parentes das vítimas. As autoridades indianas anunciaram um reforço da segurança ao longo da fronteira.

O primeiro-ministro paquistanês, Nawaz Sharif, também condenou o ataque e ordenou à polícia um rigoroso inquérito.

Três grupos ligados aos talibãs paquistaneses - Jundullah, Jamaat ul-Ahrar e uma facção do Waziristão do Sul - reivindicaram a autoria do atentado.

Leia tudo sobre: índiapaquistãotalibã

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas