Ação é de dois filhos de um passageiro do vôo MH370, desaparecido em março com 239 passageiros e tripulação

Reuters

Dois filhos de um passageiro do vôo MH370, da Malaysia Airlines, processaram a companhia e o governo malaio por danos - o primeiro processo envolvendo a aeronave que desapareceu em março.

Piloto em caça da Austrália participa das buscas pelo voo da Malásia Airlines no Oceano Índico
Reuters
Piloto em caça da Austrália participa das buscas pelo voo da Malásia Airlines no Oceano Índico

Os dois garotos malaios, de 13 e 14 anos, entraram com o pedido no Supremo Tribunal, nomeando também os diretores do Departamento de Aviação Civil, o Departamento de Imigração e as forças aéreas do país, segundo reportagem do jornal The Star publicada neste sábado.

O pai dos meninos, Jee Jing Hang, de 41 anos, estava no vôo de Kuala Lumpur a Pequim que carregava 239 passageiros e a sua tripulação quando desapareceu em 8 de março.

Entenda: Como é a tecnologia para acompanhar e rastrear um avião?

Quase oito meses de buscas por diversas partes não conseguiram encontrar nenhum rastro do Boeing 777.

O desaparecimento foi um dos dois maiores desastres a afetar neste ano a Malaysian Airlines, que será privatizada até o fim de 2014.

A crise da companhia piorou em 17 de julho, quando outro avião, o vôo MH17, foi atingido sobrevoando a Ucrânia, matando todas as 298 pessoas a bordo.

Os dois meninos pedem indenização pela perda de apoio e angústia mental, alegando que a companhia aérea violou o acordo de garantir uma passagem segura para o seu pai à Pequim, disse o The Star em seu site.

(Reportagem de Al-Zaquan Amer Hamzah)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.