Polícia diz que atirador do Canadá fez ataque por razões políticas e ideológicas

Por AP | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Informação foi divulgada pela polícia do país, que ficou chocado na última quarta-feira (22) quando Michael Zehaf-Bibeau matou um soldado em Ottawa, a capital canadense

AP

AP
O atirador Michael Zehaf-Bibeau, que foi morto após assassinar soldado em Ottawa

Michael Zehaf-Bibeau – o homem que atirou e matou um soldado no Memorial Nacional da Guerra do Canadá e que posteriormente invadiu o Parlamento do país antes de ser baleado e morto, na quarta-feira (22) – preparou um vídeo pré-ataque no qual mostra que os motivos para seu atentado foram políticos e ideológicos.

A informação foi divulgada pela polícia, neste domingo (26), por meio do Comissário da Polícia Montada Real do Canadá, Bob Paulson. Segundo ele, as imagens ainda não podem ser divulgadas pois uma análise mais profunda ainda está sendo feita pela investigação.

Leia mais:
Soldado é atingido por tiro perto do Parlamento do Canadá
Tiroteio no Canadá reforça necessidade de vigilância contra terror, diz Obama
Para primeiro-ministro canadense, tiroteio no Parlamento foi ataque terrorista

Na noite do ataque, o primeiro-ministro do Canadá, Stephen Harper, disse que o atirador que "aterrorizou" o Parlamento federal "foi um terrorista que assassinou a sangue frio um soldado das Forças Armadas do país".

"O tiroteio, que ocorreu durante a manhã de ontem (quarta) no bloco central do Parlamento, foi um ataque a todos os canadenses", acrescentou o chefe de governo em declaração à nação, destacando que a população do país não ficaria intimidada com o ataque.

Leia tudo sobre: canadáottawaMichael Zehaf-Bibeau

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas