Pelo menos 17 morrem em suposto ataque do Boko Haram na Nigéria

Por Reuters | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Matanças teriam ocorrido na quinta, no Nordeste do país; grupo havia acertado acordo de cessar-fogo com governo

Reuters

Supostos militantes do grupo islâmico Boko Haram mataram pelo menos 17 pessoas e sequestraram outras dezenas em uma série de ataques na região central do estado de Borno, no Nordeste da Nigéria, disse o chefe de um governo local, neste domingo (26).

Veja fotos dos principais grupos terroristas do mundo:

Boko Haram: radicais islâmicos têm atacado a Nigéria com atentados, assassinatos e sequestros para derrubar o governo e criar Estado islâmico. Foto: APBoko Haram: traduzido, nome que designa o grupo significa 'a educação ocidental é pecado'. Há temores de que estejam ligados a grupos como a Al-Qaeda. Foto: APFrente al-Nusra: a Frente de Suporte para o Povo da Síria, em tradução livre, é uma milícia islâmica criada em 2012 que atua na guerra síria. Foto: Reprodução/YoutubeFrente al-Nusra: a milícia, descrita pelos próprios rebeldes como bem estruturada, luta contra o presidente sírio, Bashar al-Assad. Foto: Wikimedia CommonsEstado Islâmico do Iraque e do Levante (EIIL): grupo jihadista visa a formar emirado islâmico  em territórios no Iraque e na Síria. Foto: APEstado Islâmico do Iraque e do Levante (EIIL): os militantes foram considerados verdadeiras ameaças regionais pelos EUA após tomarem Mosul. Foto: APAl-Shabab: grupo somali tem ligações com a Al-Qaeda e promove ataques contra o Quênia desde 2011 em resposta ao envio de tropas do país à Somália. Foto: APAl-Shabab: grupo, cujo nome significa 'A Juventude', apareceu como ala radical da extinta União das Cortes Islâmicas da Somália em 2006. Foto: ReutersEmirado do Cáucaso: os rebeldes reivindicam a criação de um Estado islâmico independente na região russa que inclui a Chechênia. Foto: Reprodução/YoutubeAl-Qaeda na Península Arábica: braço do grupo terrorista no Iêmen querem, entre outros objetivos, atacar ocidentais e derrubar a família real saudita, aliada dos EUA. Foto: Reprodução/YoutubeTaleban: grupo integra o movimento islâmico nacionalista no Paquistão e Afeganistão e visa a expulsar invasores dos EUA e da Otan. Foto: APAl-Qaeda no Magreb Islâmico: com essa nomenclatura desde 2007, grupo atua na Argélia e em parceria com terroristas de países vizinhos. Ocidentais são alvos. Foto: Reprodução/YoutubeAl-Qaeda: rede criada por Osama bin Laden nos anos 1980 objetiva acabar com a influência ocidental em países muçulmanos. Foto: Reprodução/Youtube

As matanças, ocorridas na quinta-feira (23), são o mais recente de uma série de ataques de supostos insurgentes do Boko Haram, apesar do anúncio de um cessar-fogo por parte do governo da Nigéria e das negociações em andamento com o grupo no vizinho Chade.

Leia mais:
Nigéria faz acordo com Boko Haram; plano prevê libertação de raptadas

"Dezessete pessoas foram mortas pelos agressores no ataque de quinta-feira, na comunidade Ndongo", disse aos jornalistas Alhaji Shettima Maina, chefe do governo local do distrito de Mafa. "Nós enterramos as vítimas em Mafa, no dia seguinte."

Funcionários do governo do Chade e da Nigéria têm atribuído os ataques a facções dissidentes do Boko Haram e bandidos – ambos se apresentando como membros do grupo islâmico.

Leia também:
Soldados de Camarões matam 107 militantes islâmicos do Boko Haram

Autoridades de ambos os governos dizem estar confiantes em alcançar um acordo com os militantes islâmicos, que poderia acabar com o conflito no nordeste da Nigéria e resultar na libertação de mais de 200 estudantes nigerianas que foram sequestradas em abril.

Mas os contínuos assassinatos e sequestros lançam dúvidas sobre o cessar-fogo. Maina disse que cerca de 30 jovens foram sequestrados nos últimos dois dias na região.

Leia tudo sobre: boko haramnigériabornoterrorista

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas