Ataques matam 18 rebeldes no Paquistão

Por Agência Lusa | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Ataques aéreos foram perto da fronteira com o Afeganistão, onde talibãs e membros do Lashkar-e-Islam se refugiam

Dezoito rebeldes morreram em ataques aéreos do Exército do Paquistão realizados perto da fronteira com o Afeganistão. As informações foram divulgadas por fontes militares, neste domingo (26).

Boko Haram: radicais islâmicos têm atacado a Nigéria com atentados, assassinatos e sequestros para derrubar o governo e criar Estado islâmico. Foto: APBoko Haram: traduzido, nome que designa o grupo significa 'a educação ocidental é pecado'. Há temores de que estejam ligados a grupos como a Al-Qaeda. Foto: APFrente al-Nusra: a Frente de Suporte para o Povo da Síria, em tradução livre, é uma milícia islâmica criada em 2012 que atua na guerra síria. Foto: Reprodução/YoutubeFrente al-Nusra: a milícia, descrita pelos próprios rebeldes como bem estruturada, luta contra o presidente sírio, Bashar al-Assad. Foto: Wikimedia CommonsEstado Islâmico do Iraque e do Levante (EIIL): grupo jihadista visa a formar emirado islâmico  em territórios no Iraque e na Síria. Foto: APEstado Islâmico do Iraque e do Levante (EIIL): os militantes foram considerados verdadeiras ameaças regionais pelos EUA após tomarem Mosul. Foto: APAl-Shabab: grupo somali tem ligações com a Al-Qaeda e promove ataques contra o Quênia desde 2011 em resposta ao envio de tropas do país à Somália. Foto: APAl-Shabab: grupo, cujo nome significa 'A Juventude', apareceu como ala radical da extinta União das Cortes Islâmicas da Somália em 2006. Foto: ReutersEmirado do Cáucaso: os rebeldes reivindicam a criação de um Estado islâmico independente na região russa que inclui a Chechênia. Foto: Reprodução/YoutubeAl-Qaeda na Península Arábica: braço do grupo terrorista no Iêmen querem, entre outros objetivos, atacar ocidentais e derrubar a família real saudita, aliada dos EUA. Foto: Reprodução/YoutubeTaleban: grupo integra o movimento islâmico nacionalista no Paquistão e Afeganistão e visa a expulsar invasores dos EUA e da Otan. Foto: APAl-Qaeda no Magreb Islâmico: com essa nomenclatura desde 2007, grupo atua na Argélia e em parceria com terroristas de países vizinhos. Ocidentais são alvos. Foto: Reprodução/YoutubeAl-Qaeda: rede criada por Osama bin Laden nos anos 1980 objetiva acabar com a influência ocidental em países muçulmanos. Foto: Reprodução/Youtube

Os ataques ocorreram na noite de sábado (25), no distrito de Khyber, onde talebãs e integrantes do grupo islâmico armado Lashkar-e-Islam se refugiavam. Em nota, o Exército paquistanês afirmou que ainda foram destruídos munições e um grande armazém de armas.

A campanha contra grupos islâmicos na região começou em 2004, quando o Exército do Paquistão iniciou a busca por combatentes da Al Qaeda que atravessavam a fronteira depois da invasão do Afeganistão pelos Estados Unidos.

Em junho, as forças do Paquistão deram início a uma ofensiva contra esconderijos de rebeldes no Waziristão do Norte. A ação ocorreu depois de um ataque no aeroporto de Carachi que encerrou as negociações de paz entre o governo e os talebãs.

O Waziristão do Norte, no Noroeste do país, próximo da fronteira com o Afeganistão, é considerado a maior base do movimento dos talebãs paquistaneses, grupo que lidera desde 2007 a guerra contra o governo de Islamabad.

Segundo balanço divulgado pelo Exército do Paquistão, mais de mil militantes foram mortos desde então.

Leia tudo sobre: paquistãoafeganistãoataque aéreorebeldesmilitantesal-qaeda

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas