Comunidade muçulmana teme sofrer preconceito após tragédia em Ottawa

Por Agência Brasil | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Dos 35 milhões de habitantes, ao menos 1 milhão é composta por muçulmanos; militar foi morto durante ataque de quarta

Agência Brasil

A comunidade muçulmana residente no Canadá está preocupada com a reação da população a dois episódios desta semana e que vitimaram militares canadenses.

Ontem: "Choro é pelas vítimas. Não pelo meu filho", diz mãe do atirador do Canadá

Reuters
Memorial improvisado em homenagem a Cpl. Nathan Cirillo é visto em frente ao Memorial Nacional de Guerra em Ottawa, Canadá (23/10)

Tragédia: Morre soldado atingido por tiro no Canadá; um guarda está ferido

Em declarações à emissora pública canadense CBC, um líder religioso muçulmano de Ottawa disse "temer que o incidente possa mudar a cidade e a atitude dos canadenses".

"A situação me deixa muito triste. Espero não mudar muito. Nossa segurança está em causa, tanto quanto nossa liberdade", disse o imã Sikander Hashmi, da Associação Muçulmana Kanata.

O Canadá está de luto depois que o cabo Nathan Cirillo, 24, natural de Hamilton, Ontário, foi morto a tiros na quarta-feira (22), no Memorial Nacional de Guerra. Ele prestava honras militares ao monumento, localizado ao lado da sede do Parlamento.

Ataque: Atirador é morto no Canadá; polícia não vê ligação com terrorismo

Agentes da polícia se escondem perto do Parlamento Hilll após tiroteio em Ottawa. Foto: ReutersSoldado é atingido por tiro perto do Parlamento do Canadá (22/10)
. Foto: APSoldado é atingido por tiro perto do Parlamento do Canadá (22/10)
. Foto: APSoldado é atingido por tiro perto do Parlamento do Canadá (22/10)
. Foto: APSoldado é atingido por tiro perto do Parlamento do Canadá (22/10)
. Foto: APSoldado é atingido por tiro perto do Parlamento do Canadá (22/10)
. Foto: APSoldado é atingido por tiro perto do Parlamento do Canadá (22/10). Foto:  APTiros no Parlamento do Canadá (22/10). Foto: APTiros no Parlamento do Canadá (22/10). Foto: APEquipa de intervenção da polícia canadense responde a tiroteio no prédio do Parlamento em Ottawa (22/10). Foto: APTiros no Parlamento do Canadá (22/10). Foto: APTiros no Parlamento do Canadá (22/10). Foto: APTiros no Parlamento do Canadá (22/10). Foto: AP

Veja: Vídeo mostra tiros dentro do Parlamento em Ottawa

Recentemente covertido ao islamismo, o atirador foi identificado como Michael Zehaf Bibeau, de 32 anos. Depois dos tiros, ele fugiu para o interior do Parlamento, onde foi morto pelo sargento Kevin Vickers.

O ataque ocorreu durante reunião entre deputados federais e o primeiro-ministro Stephen Harper e a apenas dois dias após dois soldados canadenses terem sido atropelados - um deles mortalmente - em Quebek. O autor do atropelamento foi um homem ligado a extremistas islâmicos.

Saiba mais: Leia todas as notícias sobre o ataque em Ottawa, Canadá

O Canadá tem 35 milhões de habitantes. Conforme censo realizado em 2011, vivem no país pouco mais de 1 milhão de muçulmanos.

Leia tudo sobre: tiroteio no canadaottawacanadavickerscirillohamiltonontariobibeau

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas