"Choro é pelas vítimas. Não pelo meu filho", diz mãe do atirador do Canadá

Por AP | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Em entrevista, Susan Bibeau disse que ela não sabia o que dizer para feridos no ataque. "Você nunca pode explicar algo assim"

AP

Reprodução
Michael Zehaf-Bibeau, um canadense de 32 anos é acusado de ter realizado o ataque no Canadá

A mãe do homem acusado de matar um soldado em um memorial de guerra de Ottawa e, em seguida, invadir o Parlamento canadense, antes de ser morto a tiros, diz que ela está chorando pelas vítimas do tiroteio, não seu filho.

Em entrevista por telefone à Associated Press nesta quinta-feira, Susan Bibeau disse que ela não sabia o que dizer para os feridos no ataque. "Você nunca pode explicar algo assim. Lamentamos", disse. 

"Se eu estou chorando, é para as pessoas", disse ela, lutando para conter as lágrimas. "Não é pelo meu filho", completou

Atirador é morto após ataque no Canadá; polícia não vê ligação com terrorismo

Soldado é atingido por tiro perto do Parlamento do Canadá

Agentes da polícia se escondem perto do Parlamento Hilll após tiroteio em Ottawa. Foto: ReutersSoldado é atingido por tiro perto do Parlamento do Canadá (22/10)
. Foto: APSoldado é atingido por tiro perto do Parlamento do Canadá (22/10)
. Foto: APSoldado é atingido por tiro perto do Parlamento do Canadá (22/10)
. Foto: APSoldado é atingido por tiro perto do Parlamento do Canadá (22/10)
. Foto: APSoldado é atingido por tiro perto do Parlamento do Canadá (22/10)
. Foto: APSoldado é atingido por tiro perto do Parlamento do Canadá (22/10). Foto:  APTiros no Parlamento do Canadá (22/10). Foto: APTiros no Parlamento do Canadá (22/10). Foto: APEquipa de intervenção da polícia canadense responde a tiroteio no prédio do Parlamento em Ottawa (22/10). Foto: APTiros no Parlamento do Canadá (22/10). Foto: APTiros no Parlamento do Canadá (22/10). Foto: APTiros no Parlamento do Canadá (22/10). Foto: AP

Os investigadores revelaram poucas informações sobre o atirador de Ottawa, identificado como Michael Zehaf-Bibeau, um canadense de 32. De acordo com a polícia canadense o acusado agiu sozinho.

Bideau e seu marido já haviam enviado à AP um e-mail longo expressando horror e tristeza pelo que aconteceu. "Estou com raiva de meu filho", disse o e-mail, explicando que ele parecia perdido "e não se encaixava."

"Eu falei com ele na semana passada, durante o almoço, eu não o via há mais de cinco anos antes disso", disse o e-mail. "Então, eu tenho muito pouco conhecimento para oferecer."

Os ataques levantaram dúvidas se o Canadá é alvo de represálias da adesão à campanha aérea liderada pelos EUA contra o grupo extremista Estado Islâmico no Iraque e na Síria.

Em Washington, o presidente Barack Obama condenou o tiroteio como "ultrajante" e disse: "Nós temos que permanecer vigilantes." A Embaixada dos EUA em Ottawa foi bloqueada por precaução.


Leia tudo sobre: tiroteio no canadaCanadáTirosparlamentoottawa

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas