Tiroteio no Canadá reforça necessidade de vigilância contra terror, diz Obama

Por Reuters | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Presidente dos EUA classificou ataque na capital do país vizinho de "trágico"; ainda não se sabe motivação para o crime

Reuters

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, classificou o tiroteio na capital do Canadá, Ottawa, ocorrido nesta quarta-feira (22), como um evento "trágico" e disse que o ataque reforça a necessidade por vigilância contra o terror em todos os países do mundo.

Reuters
Presidente americano em reunião com coordenadores de rede de combate ao ebola, nesta quarta

Falando em coletiva realizada na Casa Branca após o ataque que deixou um soldado morto, Obama afirmou que ainda não foi descoberta a motivação do atirador ou se ele fazia parte de uma rede mais ampla, como de um grupo terrorista.

O presidente norte-americano também ressatou a importância de Canadá e EUA se manterem em sintonia quando o assunto é atividade terrorista. 

Leia mais:
Soldado é atingido por tiro perto do Parlamento do Canadá
Homem dispara ao menos 30 tiros no Parlamento do Canadá; assista

Mais cedo, logo depois do ataque no Parlamento canadense, o país ofereceu ajuda ao país vizinho, informou a Casa Branca por meio de seu porta-voz, Josh Earnest. Segundo ele, Obama e o primeiro-ministro canadense, Stephen Harper, conversariam sobre o incidente por telefone.

Earnest lamentou o episódio, afirmando que o pensamento e as orações dos norte-americanos estão com o povo canadense, e enfatizou a força das relações entre os dois países. 

O caso
O ataque ocorreu na manhã desta quarta, quando um homem armado atirou em um soldado que fazia a guarda no Memorial Nacional de Guerra. Na sequência, ele entrou no Parlamento e fez vários disparos, segundo a polícia.

Leia também:
Disparos ocorreram em vários locais de Ottawa, diz polícia canadense
Atirador é morto após ataque no Canadá; polícia não vê ligação com terrorismo
"Não tive tempo de sentir medo", diz testemunha de tiroteio no Canadá

Após os disparos, as pessoas fugiram do Parlamento aos tropeços por causa dos baixos andaimes espalhados pelo local, que passa por reformas, testemunhas disseram à agência de notícias Canadian Press. O principal porta-voz do primeiro-ministro Stephen Harper disse que ele está bem e havia deixado o local.

Segundo relatos, um homem armado foi visto correndo em direção ao Parlamento, que após o episódio ficou sob bloqueio policial. Outros disseram à agência canadense terem ouvido tiros sendo disparados em vários corredores dentro do prédio. A polícia do país ainda fez um alerta aos transeuntes do centro de Ottawa para que ficassem longe de janelas e telhados.

Todas as embaixadas de Ottawa foram bloqueadas e permaneciam fechadas ao público até o fechamento desta reportagem.

Agentes da polícia se escondem perto do Parlamento Hilll após tiroteio em Ottawa. Foto: ReutersSoldado é atingido por tiro perto do Parlamento do Canadá (22/10)
. Foto: APSoldado é atingido por tiro perto do Parlamento do Canadá (22/10)
. Foto: APSoldado é atingido por tiro perto do Parlamento do Canadá (22/10)
. Foto: APSoldado é atingido por tiro perto do Parlamento do Canadá (22/10)
. Foto: APSoldado é atingido por tiro perto do Parlamento do Canadá (22/10)
. Foto: APSoldado é atingido por tiro perto do Parlamento do Canadá (22/10). Foto:  APTiros no Parlamento do Canadá (22/10). Foto: APTiros no Parlamento do Canadá (22/10). Foto: APEquipa de intervenção da polícia canadense responde a tiroteio no prédio do Parlamento em Ottawa (22/10). Foto: APTiros no Parlamento do Canadá (22/10). Foto: APTiros no Parlamento do Canadá (22/10). Foto: APTiros no Parlamento do Canadá (22/10). Foto: AP


Leia tudo sobre: canadáataque terroristaeuaottawabarack obama

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas