Segundo autoridades israelenses, oito pessoas ficaram feridas no incidente, classificado pela polícia como um "ataque terrorista"; motorista foi morto por policiais quando fugia

Reuters

Um bebê foi morto e oito pessoas ficaram feridas quando um palestino jogou seu carro contra pedestres em uma travessia de trem em Jerusalém nesta quarta-feira (22), informaram autoridades hospitalares e policiais de Israel.

policiais trabalham em local onde palestino matou bebê atropelado em jerusalém
Reuters
policiais trabalham em local onde palestino matou bebê atropelado em jerusalém

O homem foi atingido por policiais enquanto fugia e funcionários de um hospital disseram que ele morreu mais tarde dos ferimentos.

A polícia descreveu as ações do motorista – identificado de Adbel-Rahman Shaloudi, de 21 anos, um palestino de Jerusalém Oriental – como "um ataque terrorista" e enviou forças à área para enfrentar um dos piores picos de violência nas últimas semanas em uma cidade no centro do conflito entre Israel e palestinos.

Imagens de vídeo divulgadas pela mídia israelense exibiram Shaloudi caído no chão e um policial à paisana apontando uma arma para ele. Dois dos pedestres feridos estão em estado grave, afirmou a polícia.

A mídia israelense e social mostraram fotografias do bebê, de três meses, atingido dentro de um carrinho. A criança foi enterrada na noite desta quarta-feira.

Veja fotos da ofensiva israelense contra a Faixa de Gaza:

“Podemos confirmar que isto foi um ataque terrorista. O motorista é morador de Silwan e tem histórico como terrorista. Ele já esteve na prisão por envolvimento com o terrorismo”, declarou o porta-voz policial, Micky Rosenfeld.

O carro é de propriedade do pai de Shaloudi, acrescentou a corporação. Depois do anoitecer, moradores de Silwan enfrentaram a polícia, que reagiu às pedras e coquetéis molotov com bombas de efeito moral.

Filmagens do incidente mostraram o carro virando para a direita, saindo da faixa de tráfego e seguindo em velocidade para a plataforma de trem, atingindo os pedestres antes de parar, aparentemente depois de derrubar um poste de sinalização.

O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, culpou o presidente palestino, Mahmoud Abbas, e o movimento islâmico Hamas, com quem Abbas formou um governo de unidade, pelo atentado, e ordenou à polícia que reforce sua presença em Jerusalém.

“Ataques terroristas como o de hoje em Jerusalém são típicos do Hamas, parceiro do presidente (Mahmoud) Abbas no governo palestino”, declarou o porta-voz de Netanyahu, Mark Regev.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.