Morre soldado atingido por tiro no Canadá; um guarda está ferido

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

'Condolências à família do militar e orações. O Canadá não será intimidado', afirmou o ministro-chefe do gabinete canadense

O soldado alvejado no Memorial de Guerra Canadense, Ottawa, morreu e um guarda de prédios nas proximidades do Parlamento está ferido, disse o ministro-chefe de gabinete do Canadá, Jason Kenney, nesta quarta-feira (22). 

Hoje: Atirador é morto após ataque no Canadá; polícia não vê ligação com terrorismo

AP
Policial em frente ao Parliamento Hill, em Ottawa


Mais cedo: Soldado é atingido por tiro perto do Parlamento do Canadá

"Condolências à família do soldado morto, e orações ao guarda ferido. O Canadá não será aterrorizado ou intimidado", afirmou Kenney, um dos ministros mais poderosos do premiê Stephen Harper, no Twitter.

De acordo com porta-voz da polícia de Ottawa, Chuck Benoit, o suspeito de ser o atirador também foi morto. Mas a violência que atingiu o país esta manhã não se limita ao Parlamento. policiais disseram que poderia haver vários atiradores pela área e que houve mais três tiroteios na capital. 

Polícia canadense: Disparos ocorreram em vários locais de Ottawa

Polícia de Ottawa, cujos edifícios também foram fechados, forneceu detalhes no Twitter sobre os vários tiroteios: "Os incidentes ocorreram no Memorial Nacional da Guerra, perto do Rideau Centre e do Parliament".

O governo do Canadá disse ao dos EUA que um atirador foi morto em Ottawa, disse uma autoridade americana à CNN. Até o momento, não há "nenhuma indicação de que o atirador tenha ligações com o extremismo islâmico", mas ainda é muito cedo para falar da investigação, disse a fonte. Um dos atiradores foi morto em Ottawa, autoridade americana confirmou à CNN. 

Veja: Homem dispara ao menos 30 tiros no Parlamento do Canadá

Em resposta à situação no Parlamento do Canadá, o Comando de Defesa Aeroespacial da América do Norte, Norad, na sigla em inglês, aumentou sua postura de alerta, segundo a CNN.

Assista às imagens do momento dos tiros

Isso significa que aumentou o número de aviões em status elevado de alerta pronto para responder, se necessário. O Norad e autoridades canadenses estão em contato, de acordo com funcionário.

Tiros

Na manhã desta quarta, homem armado atirou em um soldado canadense que fazia a guarda no Memorial Nacional de Guerra. Depois, ele entrou no Parlamento e fez vários disparos, segundo a polícia.

Após os disparos, as pessoas fugiram do Parlamento aos tropeços por causa dos baixos andaimes espalhados pelo local, que passa por reformas, testemunhas disseram à agência de notícias Canadian Press. O principal porta-voz do primeiro-ministro Stephen Harper disse que ele está bem e havia deixado o parlamento.

Segundo relatos, um homem armado foi visto correndo em direção ao Parlamento, que após o episódio está sob bloqueio policial. Outros disseram à Canadian Press terem ouvido tiros sendo disparados em vários corredores diferentes dentro do prédio. A polícia canadense ainda fez um alerta aos transeuntes do centro de Ottawa para que fiquem longe de janelas e telhados.

Houve "vários incidentes no centro de Ottawa", postou a polícia no Twitter. "Os incidentes ocorreram no Memorial Nacional da Guerra, perto do Centro Rideau e do Parliament Hill". Todos os edifícios de Ottawa permanecem sob bloqueio e estão fechadas ao público, a polícia também informou pelo Twitter.

Agentes da polícia se escondem perto do Parlamento Hilll após tiroteio em Ottawa. Foto: ReutersSoldado é atingido por tiro perto do Parlamento do Canadá (22/10)
. Foto: APSoldado é atingido por tiro perto do Parlamento do Canadá (22/10)
. Foto: APSoldado é atingido por tiro perto do Parlamento do Canadá (22/10)
. Foto: APSoldado é atingido por tiro perto do Parlamento do Canadá (22/10)
. Foto: APSoldado é atingido por tiro perto do Parlamento do Canadá (22/10)
. Foto: APSoldado é atingido por tiro perto do Parlamento do Canadá (22/10). Foto:  APTiros no Parlamento do Canadá (22/10). Foto: APTiros no Parlamento do Canadá (22/10). Foto: APEquipa de intervenção da polícia canadense responde a tiroteio no prédio do Parlamento em Ottawa (22/10). Foto: APTiros no Parlamento do Canadá (22/10). Foto: APTiros no Parlamento do Canadá (22/10). Foto: APTiros no Parlamento do Canadá (22/10). Foto: AP

Todos esses locais estão dentro de menos de um quilômetro de distância do outro. Soucy disse que os tiros começaram no memorial e que ainda não está claro se há mais de um atirador. Nenhuma prisão foi feita.

"A maior parte do centro de Ottawa está em alerta", disse Soucy.

O tiroteio ocorreu dois dias depois de um recém-convertido ao Islã matar soldado canadense e ferir outro antes de ser morto a tiros pela polícia. O suspeito estava no radar dos investigadores federais, que temiam que ele tivesse ambições jihadistas. O homem teve o passaporte apreendido quando tentava embarcar para a Turquia.

O ministro Tony Clement twittou que ao menos 30 tiros foram ouvidos dentro do prédio, onde membros dos partidos Conservador e Liberal realizavam reuniões semanais da convenção partidária.

"Abriram fogo durante a nossa reunião. Estou seguro, trancado em um escritório à espera da segurança", twittou Kyle Seeback, um membro do Parlamento.

Equipes de emergência ainda estão no local e paramédicos levaram o soldado ferido em uma ambulância. Ainda não há informações sobre o estado de saúde do militar.

*Com AP, Reuters e CNN

Leia tudo sobre: tiroteio no canadacanadaottawakenney

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas