Imagens mostram militantes do Estado Islâmico abrindo caixas que podem ter sido lançadas por aviões americanos em Kobani

BBC

O Departamento de Defesa dos Estados Unidos investiga se armas lançadas pelo país para combatentes curdos acabaram nas mãos do autodenominado Estado Islâmico.

Ontem: Imagens mostram antes e depois da destruição em Kobani, Síria

Assista clicando no link abaixo:

EUA investigam se armas lançadas pelo ar caíram em lado 'inimigo'


Um dos carregamentos foi extraviado
Reprodução/BBC
Um dos carregamentos foi extraviado

Lógica: Doutrinamento de filho de brasileira no Estado Islâmico segue lógica de seita

Um vídeo divulgado pelo grupo mostra combatentes com armas e munições semelhantes às que foram lançadas por aviões americanos.

Na segunda-feira, cerca de 27 carregamentos americanos foram lançados por aviões para milícias curdas que defendem a cidade síria de Kobani, na fronteira com a Turquia.

Após o lançamento, uma nota informou que um dos pacotes se extraviara e que, para evitar que caísse em mãos inimigas, fora destruído. Os outros, segundo o comunicado, haviam sido entregues de forma segura.

Desespero: Mãe vai à Turquia e convence filho a deixar o Estado Islâmico na Síria

Além do vídeo, postado por um grupo de mídia ligado ao Estado Islâmico, ativistas do Observatório Sírio para os Direitos Humanos também disseram que os militantes haviam apreendido uma das caixas.

Um dos carregamentos foi extraviadoO porta-voz do Pentágono John Kirby disse que não poderia confirmar que o vídeo era autêntico.

"É certamente o tipo de material que foi lançado ... ou seja, isso ter ocorrido não está fora do campo do possível", disse ele.

Desabafo: 'Prefiro ele na cadeia', diz brasileira sobre filho jihadista no Estado Islâmico

"Quando tivermos alguma coisa definitiva que possamos oferecer em termos de uma avaliação, nós vamos fazer isso", afirmou.

Batalha

Segundo Kirby, as forças curdas estão controlando a maior parte da cidade de Kobani, mas o Estado Islâmico ainda é uma ameaça.

Combatentes jihadistas lançaram um intenso ataque sobre Kobani na segunda-feira, após dois dias de relativa calma, quando os defensores da cidade pareciam ter rechaçado os militantes. Kirby disse que o Estado Islâmico foi mantido à distância por uma combinação de ataques aéreos liderados pelos EUA e os esforços das forças curdas.

Coligação: Grã-Bretanha envia drones para missões de vigilância na Síria

Kobani está sob ataque há semanasO Observatório Sírio para os Direitos Humanos afirmou que 30 combatentes do "Estado Islâmico" e 11 defensores curdos foram mortos na terça-feira. Os pesquisadores acrescentaram que os militantes islâmicos estavam trazendo reforços.

Kobani, na fronteira com a Turquia, está sendo atacada pelo Estado Islâmico há semanas, com a maioria dos civis forçados a sair.

Os novos conflitos ocorrem no momento em que a Turquia disse que iria permitir que combatentes curdos iraquianos peshmerga cruzassem para a Síria para lutar contra o Estado Islâmico.

Dia 20: EUA realizam 12 ataques aéreos contra o Estado Islâmico na Síria e Iraque

No entanto, uma autoridade curda local, Idris Nassen, disse à agência de notícias AFP não ter "nenhuma ideia" sobre quando isso poderia ocorrer.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.