Morales critica lentidão do TSE em apurar votos na Bolívia

Por Agência Brasil |

compartilhe

Tamanho do texto

Pleito ocorreu domingo e 9% dos votos não foram apurados; presidente diz que Tribunal Superior Eleitoral 'deixou a desejar'

Agência Brasil

Quatro dias após as eleições gerais da Bolívia e ainda com 9% dos votos a ser apurados, o presidente reeleito pelo país, Evo Morales, disse nesta quinta-feira (16) que o Tribunal Supremo Eleitoral (TSE) "deixou a desejar".

Segunda: Evo Morales vence eleições e garante terceiro mandato na Bolívia

AP
O presidente da Bolívia, Evo Morales, fala aos partidários da varanda do palácio presidencial em La Paz, Bolívia (12/10)

Domingo: Bolivianos votam e devem dar terceiro mandato a Evo Morales

Nos últimos dias, a oposição fez várias críticas ao órgão pela demora na apuração total dos votos.

"Quando há problemas internos, às vezes é difícil de resolver. Eu não tenho muito a dizer, mas evidentemente deixou muito a desejar o Tribunal Supremo Eleitoral", disse Morales em coletiva ao ser questionado sobre a preocupação com a demora na apuração oficial dos votos, que deveria ocorrer 24 horas após o pleito.

Segundo o líder, reeleito para seu terceiro mandato consecutivo, a principal preocupação dele é com a parte técnica da apuração e pediu ao TSE para resolver internamente os problemas que geraram atraso na contagem dos votos e críticas por parte da oposição derrotada.

Análise: Por que as eleições na Bolívia interessam ao Brasil?

Apesar de reconhecer e criticar as falhas, Morales não descartou que as declarações da oposição sobre uma suposta fraude eleitoral tenham o objetivo de conseguir um assento a mais na Assembleia Legislativa ou, simplesmente, buscar "protagonismo" já que, apesar dos problemas técnicos do TSE, 200 observadores internacionais acompanharam o processo eleitoral e podem atestar a legalidade das eleições.

Evo Morales disse que a raiz do problema está nos "maus técnicos" dentro do TSE que cometeram erros por sua pouca experiência ou a fim de "prejudicar" a instituição. Os últimos dados divulgados nesta quinta-feira pelo órgão, em sua página na internet, dão conta de 90,94% das urnas contabilizadas, ou 24.920 das 27.403 urnas.

Brasil: Bolivianos enfrentam longas filas para votar em São Paulo

Já vitorioso, o partido Movimento ao Socialismo (MAS), liderado por Evo Morales, aparece com 60,06% dos votos. O Unidade Democrática (UD), de Samuel Doria, tem 24,98% dos votos, seguido pelo Partido Democrata Cristão (PDC), do ex-presidente Jorge Quiroga, com 9,41%. O Movimento Sem Medo (MSM), de Juan del Granado aparece com 2,8% e o Partido Verde da Bolívia, com 2,76% dos votos até o momento. De acordo com o TSE, os votos válidos representam 94,31% do total apurado, ou 4.588.468, enquanto os votos nulos são 182.935 (3,76%) e os em branco, 93.840 (1,93%).

Leia tudo sobre: boliviamoraleseleicoes na boliviatsecochambaurnas

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas