Colômbia nega entrada de turistas vindos de países africanos com surto de ebola

Por Reuters |

compartilhe

Tamanho do texto

Nova medida se aplica a Serra Leoa, Guiné, Libéria e Nigéria em resposta a recomendação para evitar que o vírus se propague

Reuters

A Colômbia começou a negar a entrada de pessoas que visitaram recentemente os países da África Ocidental afetados pelo vírus do Ebola, disseram fontes do Ministério das Relações Exteriores, tornando-se o primeiro país latino-americano a impor essa restrição.

Hoje: Profissional de saúde no Texas é o segundo infectado por ebola nos EUA 

AP
O presidente colombiano, Juan Manuel Santos, conversa com a Associated Press (23/09)


Ontem: Enfermeira que contraiu ebola nos EUA diz que 'se sente bem'

Essa nova medida entrou em vigor na terça (14) e se aplica a pessoas que estiveram em Serra Leoa, Libéria, Guiné e Nigéria.

A ação foi adotada em resposta a uma recomendação do Instituto Nacional de Saúde para evitar a propagação do vírus, segundo disseram à Reuters na terça-feira fontes do Ministério das Relações Exteriores não autorizadas a falar sobre o assunto.

Surto: OMS prevê 5 mil novos casos de ebola por semana em dezembro

Guardas de fronteira da Colômbia vão negar entrada a qualquer pessoa cujo passaporte mostre uma recente viagem aos países com surto, e os consulados vão vetar os pedidos de visto para qualquer pessoa que tenha visitado essas nações nas quatro semanas anteriores, de acordo com um documento do Ministério do Exterior visto pela Reuters.

O surto de Ebola na África Ocidental é o pior já registrado, com pelo menos 4.447 mortos. Um outro surto da doença, não relacionado à essa cepa, já matou mais de 40 pessoas na República Democrática do Congo.

A epidemia de Ebola ainda está se espalhando na Guiné, Serra Leoa e Libéria. As projeções mostram que pode haver entre 5 mil e 10 mil novos casos por semana no início de dezembro, informou a Organização Mundial da Saúde (OMS) na terça-feira.

Leia tudo sobre: colombiasurto de ebolaebolaserra leoaliberiaguineomsafrica ocidental

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas