Mesmo assim, Tania Clarence deverá ser julgada por homicídio culposo e deverá cumprir sua pena em um hospital psiquiátrico

Um tribunal britânico afrouxou as acusações de homicídio contra uma mulher que matou seus três filhos com deficiência depois de aceitar os pedidos da defesa, que alegou homicídio culposo.

EUA: Mãe é condenada por atirar no filho 20 anos após matar ex-marido

Tania Clarence admitiu ter matado seus filhos gêmeos, Max e Ben (foto com o pai, Gary) e filha mais velha, Olivia, em Londres
Reprodução/Youtube
Tania Clarence admitiu ter matado seus filhos gêmeos, Max e Ben (foto com o pai, Gary) e filha mais velha, Olivia, em Londres


Vídeo: Mãe mata filho atropelado após esquecer de puxar freio de mão

Tania Clarence admitiu ter matado Olivia, 4, e os gêmeos Ben e Max, de 3 anos, mas implorou pela diminuição da pena na sessão realizada segunda-feira (13).

Ela supostamente teria sufocado as crianças na casa da família, em Londres, em abril antes de tentar o suicídio. Seu marido Gary estava na África do Sul no momento do crime. Os filhos do casal eram portadores do tipo 2 de atrofia muscular espinhal, uma doença que afeta a força muscular.

O advogado de defesa Jim Sturman disse que para Tania, "cuidar de três crianças com essa condição era desgastante, angustiante, debilitante e acabou por ser esmagador."

Veja fotos de mães que também foram acusadas pela morte dos filhos

França: Mãe mata com faca professora da pré-escola durante aula, diz polícia

Durante audiência na Corte Criminal Central de Londres, o procurador de Justiça Zoe Johnson disse que a acusada "matou seus três filhos porque queria acabar com o sofrimento deles."

Johnson disse que os promotores aceitaram a apelação de que Tania estava com depressão, o que equivaleria a "anormalidade mental". Ela deve receber sua sentença no dia 14 de novembro e é provável que seja enviada para um hospital psiquiátrico.

*Com AP

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.