Líder da Coreia do Norte reaparece em público usando bengala

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Kim Jong-un foi visto em evento público após semanas longe da mídia; é o 1º líder norte-coreano visto andando de bengala

Após desaparecer dos olhos do público por quase seis semanas, o líder norte-coreano Kim Jong-un está de volta, dando fim a rumores de que ele estaria gravemente doente, teria sido deposto ou algo pior. Agora, um novo, embora menor, mistério surgiu: Por que ele estaria usando uma bengala?

Dia 10: Coreias trocam tiros de metralhadora na fronteira

AP
Homem observa telejornal com notícia sobre o líder norte-coreano em Estação Ferroviária de Seul, na Coreia do Sul


Dia 4: Autoridades da Coreia do Norte fazem rara visita à Coreia do Sul

Kim, que foi visto pela última vez em público no dia 3 de setembro durante um concerto, apareceu em imagens divulgadas pela mídia estatal nesta terça-feira (14) com um largo sorriso e apoiando-se em uma bengala ao andar pelo recém-construído Distrito Residencial de Cientistas Wisong em Pyongyang, parte de seus regulares passeios de "orientação de campo". A Coreia do Norte não disse quando a visita foi feita e nem falou sobre a saúde do líder.

A aparência de Kim permitiu que o órgão de propaganda maciça do país continue a fazer o que faz melhor - glorificar a terceira geração da família Kim. E frear, pelo menos por enquanto, os rumores desenfreados de um suposto golpe de Estado e os graves problemas de saúde do líder.

Antes desta terça, Kim não foi visto em inúmeros eventos que ele normalmente compareceria porque, de acordo com documentos oficiais, estaria com um "desconforto". No início de agosto, a imprensa noticiou que o líder sofreria de excesso de peso, o que levou os meios de comunicação sul-coreanos a especular se ele havia passado por cirurgia nos tornozelos. Especialistas sugeriram que ele estaria sofrendo de gota ou diabetes.

Um analista sul-coreano disse que Kim provavelmente quebrou o silêncio da mídia para dissipar especulações que ele não estaria mais no controle e para ganhar a simpatia de seus conterrâneos com a imagem de um líder que trabalha mesmo sob dor.

A aparente fragilidade do imperador pode ser uma forma de "políticas emocionais pretendem apelar para a simpatia do povo norte-coreano", disse Cheong Seong-chang, do Instituto Sejong da Coréia do Sul.

Foi a primeira vez que um líder norte-coreano se permitiu ser visto caminhando com ajuda de uma bengala ou muleta, disseram autoridades sul-coreanas. O pai de Kim, Kim Jong Il, que sofreu um derrame em 2008, foi visto mancando antes de morrer de um ataque cardíaco no final de 2011, mas nunca com uma bengala, nem o fundador do país e avô de Kim Jong Un, Kim Il Sung, disse Lim Byeong Cheol, um porta-voz do Ministério da Unificação de Seul.

Cheong disse que imagens recentes sugerem que Kim perdeu cerca de 10 kg em comparação com fotos de maio. Ele especulou que Kim poderia estar com uma bengala após ter se submetido a cirurgia no tornozelo esquerdo.

Kim "parece querer mostrar às pessoas que ele está bem, apesar de seu aparente desconforto. Se ele não tivesse feito isso, a especulação excessiva teria continuado a incendiar a ansiedade dos moradores da Coreia do Norte e chamados por planos de contingência sobre como lidar com a Coreia do Norte sem o líder teria tomado impulsos enormes", explicou Cheong.

Na decisão de retomar a sua atividade pública antes de recuperar plenamente sua condição física, Kim visava a sufocar rapidamente os rumores de que seus problemas de saúde eram graves o suficiente para ameaçar seu status de líder norte-coreano, disse Lim, porta-voz do governo.

"Com a bengala de lado ele parecia estar em bom estado de saúde", disse Lim.

A ausência recente do líder foi, em parte, um "provável dispositivo para chamar a atenção - e isso certamente funcionou", segundo Bruce Cumings, especialista em Coreia da Universidade de Chicago.

"O norte da Coreia tem sido visto com ofensiva diplomática pela Europa e outros lugares e se sente isolado - e é, se falarmos das relações do país com Washington", escreveu ele por e-mail. "Tudo isso os coloca [norte-coreanos] de volta à primeira página."

*Com AP

Leia tudo sobre: coreia do nortecumingseuakim

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas