Tufão Vongfong castiga o sul do Japão e afeta transportes do país

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Aproximadamente 820 mil tiveram de deixar suas casas devido ao fenômeno; cerca de 500 voos domésticos foram cancelados

A pior tempestade a atingir o Japão este ano castigou as ilhas de Kyushi e Shikoku, no sul do país, nesta segunda-feira (13), trazendo consigo fortes chuvas e provocando uma ampla interrupção no deslocamento das pessoas.

Assista: Passagem de tufão provoca caos no Japão

Reuters
Carros dirigem em estrada alagada por causa das chuvas deixadas por tufão que se aproxima de Nishihara, na ilha de Okinawa, Japão (11/10)


Dia 7: Passagem do Tufão Phanfone mata seis em província japonesa

O tufão Vongfong forçou o cancelamento de mais de 500 voos domésticos, informou a TV estatal NHK. Ao menos um voo internacional foi cancelado, de acordo com uma companhia aérea. 

Muitos trens em cidades na parte ocidental do país também ficaram parados, disse a NHK. Mais de 820 mil tiveram de deixar suas casas, afirmou a TV estatal. A previsão é que a chuva se intensifique em Tóquio durante a noite.

Além das ilhas de Kyusho e Shikoku, o Vongfong castigou também a ilha de Okinawa, 600 km ao sul de Tóquio, ferindo 59 pessoas, disse a NHK.

No domingo, os ventos diminuíram bastante de intensidade em relação ao dia anterior, quando chegaram a alcançar 234 km/h, o que fez com que o Vongfong fosse classificado como "supertufão".

A companhia Tóquio Electric Power Co, operadora da usina nuclear de Fukushima, danificada por um tsunami, disse em comunicado que havia aumentado a capacidade de transferência e armazenamento de água para evitar que os estoques de água radioativa mantidos na planta transbordassem.

Fukushima

A Central Nuclear de Fukushima se prepara para a chegada do poderoso Vongfong a partir de terça-feira (14). Segundo a operadora Tokyo Electric Power (Tepco), foram instalados condutores na parte superior dos tanques que acumulam água contaminada para blindar e aumentar a altura dos diques para evitar que transbordem.

Como medida preventiva, diante do que se considera ser o maior tufão do ano no Japão, a operadora indicou que haverá funcionários patrulhando as instalações de hora em hora para evitar vazamentos e o aumento do já enorme volume de água contaminada que se acumula nos porões da Central de Fukushima.

De acordo com a Agência de Meteorologia do Japão, o tufão, que se move a 35 quilômetros (km) por hora, tocou a terra pela manhã na ilha de Kyushu e que, na madrugada de amanhã, poderá chegar a Tóquio e dirigir-se mais tarde em direção ao Nordeste, onde se localiza a Central Nuclear.

As autoridades nipônicas advertiram para a ocorrência de chuvas torrenciais, inundações e deslizamentos de terras e pediram à população que se mantenha alerta devido aos fortes ventos e ondas.

Até o momento, foram registados 52 feridos em nove províncias do país como consequência dos acidentes provocados sobretudo pelos fortes ventos e pelas chuvas torrenciais. O Vongfong chega apenas uma semana depois do Tufão Phanfone, que atingiu grande parte do arquipélago, deixando um rastro de nove mortos.

A Central Nuclear de Fukushima, atingida por um terremoto seguido de tsunami em março de 2011, acumula toneladas de água contaminada em mais de mil tanques.

*Com Reuters e Agência Brasil

Leia tudo sobre: tufaojapaovongfongfukushimatoquionhktufao no japao

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas