Secretário de Estado norte-americano diz que é possível um acordo duradouro entre Israel, os palestinos e países vizinhos

Reuters

O secretário de Estado norte-americano, John Kerry, defendeu neste domingo um compromisso renovado para se chegar à paz no Oriente Médio, dizendo que um acordo duradouro entre Israel, os palestinos e os países vizinhos pode ser alcançado.

No entanto, as possibilidade para um novo processo de paz parecem reduzidas, uma vez que Kerry não ofereceu detalhes sobre como reiniciar as negociações, durante o seu discurso numa conferência no Cairo para a reconstrução de Gaza.

A última rodada de negociações, mediada por ele, foi interrompida em abril, por conta da oposição dos israelenses a um acordo de unidade política palestino com o Hamas, e da oposição palestina à expansão dos assentamentos judaicos.

“Dessa conferência deve sair não somente dinheiro, mas um renovado compromisso de todos para trabalhar para uma paz que vá ao encontro das aspirações de todos”, discursou Kerry.

Na reunião, Kerry anunciou um valor adicional de 212 milhões de dólares de ajuda norte-americana para a Faixa de Gaza, que foi destruída durante o recente conflito com Israel, no qual 2.100 palestinos morreram. Os palestinos estimam o custo total da reconstrução em 4 bilhões de dólares.

Catar disse que vai fornecer 1 bilhão de dólares em ajuda à reconstrução de Gaza, enquanto os companheiros do Golfo Árabe Kuwait e Emirados Árabes Unidos prometeram 200 milhões de dólares cada um.

A Alemanha, neste domingo, também anunciou que vai contribuir com 50 milhões de euros (63 milhões de dólares) para os esforços de reconstrução em Gaza.

"Não podemos permitir que as pessoas em Gaza caiam no desespero", disse o ministro das Relações Exteriores da Alemanha, Frank-Walter Steinmeier, em comunicado.

O embaixador britânico no Egito, John Casson, disse à Reuters que Londres daria 32 milhões dólares para a reconstrução.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.